Conteúdo publicado há 9 meses

Elenco do CQC sofreu com ansiedade, depressão e burnout, diz Rafael Cortez

Rafael Cortez, 46, ganhou destaque como um dos repórteres do CQC (Custe o que Custar), programa da Band que estreou em 2008 e permaneceu no ar até 2015. Ele exaltou as boas experiências no programa, mas contou que os integrantes sofriam constantemente com problemas de saúde.

"Todo mundo que trabalhava como repórter e passou pela primeira fase do programa, entre 2008 e 2011, chegou a ter algum tipo de problema. Estafa, depressão, ansiedade. Era muito comum eu ter herpes em decorrência da imunidade baixa. Estávamos sempre gravando", disse em papo exclusivo com Splash. A conversa ocorreu no estante do McDonald's durante o The Town em São Paulo.

Eu tive muitos momentos maravilhosos, mas acho que tive um burnout por trabalhar no CQC, especialmente no ano de 2010.
Rafael Cortez

A Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um transtorno de difícil diagnóstico. Ela acomete 30% dos cerca de 100 milhões de trabalhadores brasileiros, de acordo com dados divulgados pela Isma (International Stress Management Association) em 2018.

Humorista diz ter sido o momento em que mais trabalhou na vida. "Eu chegava a fazer oito matérias por semana. Em algum momento, fui para a Copa do Mundo da África do Sul cobrir futebol, que é um tema que eu não gosto".

Repórter também sofreu com queda de cabelo, mas não abandonou coberturas. "As minhas melhores matérias nasceram ali, na Copa do Mundo de 2010, em um contexto de que eu estava super mal. Mas entreguei todo o meu amor ali".

Rafael destacou importantes experiências no programa. "Conheci o Brasil inteiro e mais 11 países. Comprei meu apartamento, conheci gente incrível, trabalhei com as pessoas mais maravilhosas que você puder imaginar. Eu me relacionei com gente fantástica, conheci famosos que se mostraram amorosos. Entrevistei gente que sempre idolatrei".

Recentemente, Monica Iozzi comentou sobre as dificuldades de trabalhar no Congresso em reportagens para o CQC. "É muito difícil trabalhar. Eu fazia aquelas matérias difíceis e, algumas vezes, chegava no hotel e ia chorar", disse em papo exclusivo com Splash.

Além de Rafael e Monica, também fizeram parte do elenco do programa Marcelo Tas, Rafinha Bastos, Danilo Gentili, Marco Luque, Dani Calabresa, Felipe Andreolli e Oscar Filho.

Continua após a publicidade

Carreira de ator?

Rafael Cortez pensa em seguir carreira na atuação. "Eu quero e vou fazer uma novela. Está um pouco difícil porque ninguém jamais me convidou para uma".

Humorista sonha em participar de um remake de "Vale Tudo" (Globo), novela exibida pela primeira vez em 1988. "Marcou profundamente a minha vida. [...] E em todas as vezes que reprisou, no "Vale a Pena Ver de Novo" ou no Canal Viva, eu assisti".

Deixe seu comentário

Só para assinantes