PUBLICIDADE
Topo

Inquérito vê imprudência, mas não indicia motorista de acidente de Rodrigo

Rodrigo Mussi - Reprodução/Instagram @rodrigo.mussi
Rodrigo Mussi Imagem: Reprodução/Instagram @rodrigo.mussi

Ane Cristina e Weslley Neto

De Splash, em São Paulo

04/05/2022 19h27Atualizada em 04/05/2022 20h07

O inquérito sobre o acidente com o ex-BBB Rodrigo Mussi foi concluído. O motorista Kaique Faustino Reis, que assumiu que "deveria ter cochilado", foi considerado imprudente, mas não foi indiciado pelo crime de lesão corporal culposa.

As informações foram confirmadas pelo delegado Júlio Geraldo, titular do 51º Distrito Policial localizado no Butantã, zona oeste da capital paulista. Ele comentou sobre o caso em conversa com Splash.

"Ele não foi indiciado por não caber indiciamento para pena de lesão corporal culposa. A polícia se limita a apontar que houve crime, quem foi o autor e detalhar quais foram as circunstâncias", afirmou o delegado.

"A polícia afirma que ele foi imprudente em assumir jornadas excessivas de trabalho e não cuidar desta questão dos acidentes. Ele causou outros semelhantes anteriormente", completou na sequência.

Júlio Geraldo destacou que existe uma representação criminal contra Kaique Faustino Reis solicitada por um irmão de Rodrigo. "Agora vai depender do Ministério Público", comentou sobre a possibilidade do motorista sofrer sanções por conta do acidente.

O acidente envolvendo o ex-participante do "BBB 22" (TV Globo) aconteceu por volta de 3h da madrugada do dia 31 de março, na Marginal Pinheiros, próximo à Ponte Eusébio Matoso, em São Paulo.

Rodrigo voltava do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, onde assistiu ao primeiro jogo da final do Campeonato Paulista. O carro de aplicativo em que o ex-BBB estava se chocou contra a traseira de um caminhão e ele teria sido arremessado para a frente do veículo.

Kaique Faustino Reis e o motorista do caminhão realizaram teste de bafômetro e ambos deram negativo.

Recuperação de Rodrigo

O gerente comercial passou por cirurgias na perna e na cabeça e ficou 20 dias na UTI após o acidente. Atualmente, ele segue em reabilitação intensiva.

O último boletim médico, divulgado na noite de ontem, informou que ele se esforçou além do que foi exigido durante a fisioterapia e animou os médicos envolvidos em seu tratamento.

Hoje, o Rod se superou na fisioterapia. Fez mais do que pediram, o que gerou muito ânimo na equipe do instituto. Um baita avanço. Também fez fono e terapia ocupacional. O seu dia foi mais animado e está bastante focado. Bora! Diogo Mussi, irmão de Rodrigo Mussi

Segundo o jornal "O Globo", ele vai completar o tratamento na Rede Lucy Montoro, centro reconhecido internacionalmente e adepto a tecnologias como fisioterapia robótica e gameterapia. Ao jornal, o irmão de Rodrigo afirma que a unidade "tem uma estrutura de primeiro mundo".

Vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, a Rede Lucy Montoro está entre as 20 instituições escolhidas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para serem centros colaboradores para reabilitação.

No centro de reabilitação, Rodrigo realiza uma série de exercícios para reaprender movimentos básicos. Um deles é a "gameterapia", que estimula os membros superiores colocando o paciente num jogo virtual.

A instituição também é a única na América Latina que usa a tecnologia InMotion, em que um suporte movimenta os braços do paciente de acordo com desafios propostos por um jogo digital, incentivando a pessoa a reaprender as habilidades motoras.

Segundo especialistas consultados pelo jornal, uma das principais vantagens do uso de robôs é a aceleração da reabilitação: casos que exigiriam um ano de exercícios fisioterápicos na piscina, por exemplo, já foram reabilitados em menos tempo com a fisioterapia robótica.