PUBLICIDADE
Topo

Acusado de abuso sexual, Príncipe Andrew perde títulos militares

De Splash, em São Paulo*

13/01/2022 14h34Atualizada em 13/01/2022 17h40

O Palácio de Buckingham anunciou hoje que os títulos militares do Príncipe Andrew foram removidos e devolvidos à Rainha Elizabeth 2ª. A partir de agora, Andrew também perde o direito de ser chamado de "sua alteza real".

O duque de York continuará sem desempenhar nenhuma função pública e se defenderá neste caso em qualidade de cidadão privado disse o palácio em um breve comunicado.

A decisão acontece após um juiz de Nova York rejeitar um pedido do filho da Rainha Elizabeth 2ª para arquivar uma denúncia de abuso sexual.

Mais cedo, 150 veteranos militares escreveram à rainha para pedir que ela retirasse Andrew de seus cargos militares honorários em meio ao que eles descreveram como "chateação e raiva". O palácio havia dito que não tinha comentários sobre a carta aberta.

"Entendemos que ele é seu filho, mas escrevemos à senhora na qualidade de chefe de Estado e comandante-em-chefe do Exército, da Marinha e da Aeronáutica", diz a carta. "Essas medidas poderiam ter sido tomadas a qualquer momento nos últimos onze anos. Por favor, não permita que demore mais."

Eles reclamam ainda que Andrew causou descrédito às Forças Armadas e terminam com um pedido direto e pessoal à rainha, que há muito tempo considera Andrew como seu filho "favorito", segundo o The Guardian.

Entendemos que ele é seu filho, mas escrevemos para você na qualidade de Chefe de Estado e Comandante-Chefe do Exército, Marinha e Força Aérea. Essas medidas poderiam ter sido tomadas a qualquer momento nos últimos 11 anos. Por favor, não deixe mais. carta de grupo de militares para a rainha

Segundo uma fonte informou à CNN, "todos os títulos do duque foram devolvidos à rainha com efeito imediato para redistribuição a outros membros da família real. Para maior clareza, eles não retornarão ao duque de York".

Abuso sexual

Prince Andrew, a vítima Virginia Roberts Giuffre e Ghislaine Maxwell, que seria cúmplice de Jeffrey Epstein - Divulgação/Netflix - Divulgação/Netflix
Príncipe Andrew, a vítima Virginia Roberts Giuffre e Ghislaine Maxwell, cúmplice de Jeffrey Epstein
Imagem: Divulgação/Netflix

A denúncia foi feita no ano passado por Virginia Giuffre, uma das vítimas dos crimes sexuais do empresário americano Jeffrey Epstein. Ela afirma ter sido abusada por Andrew nas propriedades de Epstein em 2001, quando tinha 17 anos.

Segundo Giuffre, Epstein a "emprestou" para ter relações sexuais com seus amigos ricos e poderosos, entre eles Andrew — o príncipe nega categoricamente as acusações.

Jeffrey Epstein foi preso em julho de 2019, e no mês seguinte foi encontrado morto em sua cela. Segundo a defesa de Andrew, em 2009 Giuffre assinou um acordo com Epstein que a proibia de processar o magnata ou "outros réus em potencial". O juiz avaliou que esse acordo é insuficiente para arquivar o processo contra Andrew.

*Com informações da AFP