PUBLICIDADE
Topo

SP ganha 'museu dos DJs', batizado em homenagem a Sonia Abreu

Sonia Abreu, primeira DJ do Brasil, ganha homenagem em SP - Reprodução/Facebook
Sonia Abreu, primeira DJ do Brasil, ganha homenagem em SP Imagem: Reprodução/Facebook

De Splash, em São Paulo

28/04/2021 13h29

São Paulo agora é palco da primeira exposição permanente, organizada pelo poder público, dedicada ao universo dos DJs. A Galeria do DJ "Sonia Abreu" foi inaugurada hoje no Centro Cultural Olido, localizado no centro histórico da capital, com a mostra "60 Anos de Discotecagem em SP".

A Galeria e a exposição, idealizadas pelo secretário de Cultura da cidade de São Paulo, Alê Youssef, e pela coordenadora do CC Olido, Claudia Assef, foram elaboradas com a colaboração de mais de 100 DJs da cena paulistana, incluindo até itens da própria Sonia Abreu, que morreu em 2019.

Sonia ficou conhecida como "a primeira DJ do Brasil". "Ela foi uma das primeiras mulheres a trabalhar como sonoplasta no rádio, a primeira DJ mulher a atuar numa discoteca, nos anos 70, a primeira a sair com uma rádio ambulante pelas ruas de São Paulo", explicou Assef.

As peças que pertenciam à pioneira da discotecagem haviam sido doadas em vida à coorenadora do Olido, pois Sonia acreditava que "um dia ela usaria".

Serão mais de mil itens em exposição nesta primeira fase da Galeria. O espaço em si foi projetado pelo cenógrafo Zé Carratu, que desde os anos 1980 trabalha com arte urbana.

A cena da música eletrônica representa uma vertente dos novos modernistas, a potência criativa da cidade [de São Paulo]."
Claudia Assef sobre Galeria do DJ