PUBLICIDADE
Topo

5 termos racistas para além de inveja branca, usado por Viih Tube no 'BBB'

BBB 21: Viih Tube
BBB 21: Viih Tube
Reprodução/ Globoplay

De Splash, em São Paulo

10/04/2021 20h33

Viih Tube, participante do "BBB 21", estava conversando com Caio sobre sua amizade com Juliette e como as duas não estão se dando muito bem nos últimos dias dentro da casa. Durante o papo, a youtuber disse que a advogada está com "inveja branca".

Inveja branca é um termo racista.

Continua depois da publicidade

A ideia de associar inveja a cor branca é para dar uma conotação mais suave ao termo. Sendo assim, a expressão associa o preto a algo negativo.

Nosso dicionário popular está carregado de expressões de cunho racista. Separamos algumas para você refletir e substituir no seu cotidiano.

Mercado negro

O termo é usado como referência a venda de produtos e bens de origem suspeita. A associação com a cor negra é uma referência de depreciação, para tornar negativo.

  • Troque mercado negro por mercado ilegal.

Lista negra

"Eu não gosto de tal pessoa, ela está na minha lista negra". Bem, novamente a cor negra sendo utilizada para reforçar algo com sentido negativo. Aqui estamos falando de gente que você não quer por perto e estão marcadas na sua memória.

  • Troque lista negra por lista de desafetos.
Freepik - Freepik
Imagem: Freepik
Continua depois da publicidade

Nasceu com o pé na cozinha

Referência a pessoa negra de pele clara. A origem do termo remete ao século 19, quando escravas, que passavam boa parte do tempo na cozinha, eram estupradas por senhores escravocratas e seus filhos nasciam com a pele mais clara.

  • Troque pé na cozinha por pardo ou parda.

Criado-mudo

A expressão é bem fiel a sua origem racista. Ela está ligada aos criados que seguravam coisas, em silêncio, para os senhores escravocratas. Criado-mudo virou referência para o móvel de cabeceira.

  • Troque criado-mudo por cômoda.
Bruno Santos/UOL - Bruno Santos/UOL
Exemplo de criado-mudo
Imagem: Bruno Santos/UOL

Fazer algo nas coxas

Também de origem escravocrata, fazer nas coxas está ligado ao modo que os escravos produziam as telhas, moldando nas próprias coxas - e, por isso, o material ficava com falhas. Hoje, o termo é associado a fazer algo de forma desleixada.

  • Troque fazer nas coxas por algo mal feito