PUBLICIDADE
Topo

Leandro Carneiro

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Yasmin Brunet repete comportamento tóxico de torcedor de reality show

Conteúdo exclusivo para assinantes
Leandro Carneiro

Editor de Splash, viciado por qualquer tipo de reality show, inclusive aqueles que os famosos vivem na vida real. Jornalista há mais de 10 anos e palpiteiro desde sempre. Se o assunto for esporte entro em campo também.

Colunista do UOL

27/07/2021 09h26

Yasmin Brunet não entendeu nada sobre o espírito olímpico e tem certeza que Olimpíada é uma versão do "BBB" para atletas. Seu comportamento na madrugada de hoje relembrou os piores torcedores de reality show.

Sabe aquela prova do líder em que o participante que você não gosta vence? Vamos para as redes sociais falar de manipulação de Boninho, Tiago Leifert e toda a equipe do mal da Globo e Record. Como aconteceu com Karol Conká em uma prova bate-volta esse ano em que o Brasil todo "sabia" que era trapaça.

"Lindo, você foi incrível. Você foi roubado na cara dura e ninguém fez nada! Você fez tudo o que podia e muito mais. O Brasil todo viu", disse Yasmin até citando o "Brasil está vendo".

Mas não parou no chororô do roubo. Yasmin estimulou os brasileiros a "cancelarem" o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e a Confederação Brasileira de Surfe (CBSurf). Cobrança nas redes sociais da entidade.

Com essa atitude, emulou aqueles torcedores mais fanáticos que invadem perfis de participantes e familiares para ofender e cobrar atitude contra uma suposta manipulação.

"Queria pedir para vocês irem ao Instagram do COB, da CBSurfe, do Time Brasil e perguntar para eles por que eles vão deixar um atleta deles ser completamente roubados? É assim que eles defendem os atletas? Agora vocês vão começar a entender o que eu estava falando desde o início".

Sabe o que é pior? Yasmin desconhece a regra do jogo. As entidades não poderiam fazer nada, pois o surfe não permite protestos contra as notas dadas pelos juízes. Ou seja, a modelo só quis causar quando deveria aprender a perder.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL