PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Globo erra feio ao diminuir participação de Manoel Soares no 'Encontro'

Patrícia Poeta e Manoel Soares                              - KELLY FUZARO/TV GLOBO
Patrícia Poeta e Manoel Soares Imagem: KELLY FUZARO/TV GLOBO
só para assinantes
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

04/07/2022 12h47

Nos últimos anos, a Globo tem voltado suas atenções para questões importantes. Discussões sobre direitos LGBTs e também aumento da quantidade de profissionais negros em frente às câmeras estão entre elas. Justamente por estar de olho em debates tão urgentes, chama a atenção que a emissora tenha anunciado presença de Manoel Soares no comando do "Encontro" para, logo em seguida, deixar claro até mesmo no título do programa que ele pertence apenas a Patrícia Poeta.

O jornalista seria, portanto, uma espécie de colaborador ou co-apresentador da atração. Há, claro, razões para isso: o público matinal se identifica mais com a presença feminina em sua tela e, no formato original, Fátima Bernardes teve a seu lado, no início parceiros como Lair Rennó. Isso, no entanto, não justifica nada. Na estreia, Manoel esteve seguro, mas sua parceria com Patrícia pareceu longe da consonância. Essa indefinição de papéis é desconfortável para o espectador e provavelmente deva causar alguma insegurança no palco - afinal, como ser apresentador de fato quando não se é na formalidade?

Se a Globo quer de fato avançar em questões de direitos humanos, ela precisa entender critérios de proporcionalidade. Não basta colocar no ar um homem negro como colaborador de um programa e anunciá-lo com pompa como se isso fosse um enorme progresso. Avanço é garantir-lhe a mesma visibilidade e direito. Ele precisa ser igualado de fato aos olhos do público. Assim como Patrícia Poeta, Manoel Soares tem muito talento. E não merece esse tipo de tratamento. Que o "Encontro" melhore em suas próximas edições.