PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

Demissão da Record atrapalha marketing do bom-mocismo de Arthur Aguiar

Arthur Aguiar perdeu posto de protagonista em novela bíblica  - Reprodução / Internet
Arthur Aguiar perdeu posto de protagonista em novela bíblica Imagem: Reprodução / Internet
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

08/01/2021 12h37

Resumo da notícia

  • Depois de problemas nos bastidores, ator perdeu o papel em "Gênesis" para o qual havia sido escalado
  • Preocupado em parecer dedicado, Arthur fez enquete para cuidar da ex-Mayra Cardi, que deveria estar isolada com covid-19
  • Constantes afirmações de mudança parecem discurso de marketing para recuperar imagem de bom moço

Desde que Mayra Cardi veio a público no ano passado afirmar que sofria constantes traições e que Arthur Aguiar tinha 16 amantes - que ela soubesse -, o ator entrou em uma espiral de problemas. Depois de sair de casa, se viu alvo do julgamento popular. Foi acusado de infiel, machista, tóxico. Tentou se redimir com declarações equivocadas e sumiu por um tempo das redes sociais. Não demorou, anunciou que havia mudado e até mesmo se convertido à igreja. Rotineiramente, o ex-integrante da versão brasileira de "Rebelde" quis mostrar que havia passado por uma transformação e conseguiu trabalho: um papel na novela "Gênesis", da Record.

A bonança profissional, no entanto, durou pouco. Segundo relatos de bastidor, o ator acabou dispensado pela emissora após constantes atrasos, problemas de bastidor e texto não decorado. Curiosamente, enquanto deixava na mão a equipe da trama, Arthur seguiu gravando stories no Instagram e até mesmo se ofereceu para ir cuidar da ex-mulher, diagnosticada com coronavírus. Não precisa ser nenhum gênio para entender que ele parece mais preocupado em reabilitar sua imagem nas redes sociais do que se dedicar ao trabalho. Talvez o turbilhão emocional tenha sido tamanho que ele não consiga dividir atenções.

Apesar das constantes afirmativas de que mudou, falta a Arthur entender uma premissa básica: transformações são graduais e não instantâneas. Mudanças são mostradas com atitudes, mais do que com frases. Fazer enquete nas redes sociais perguntando se pode cuidar da ex parece única e exclusivamente autopromoção - e, vamos combinar, mau exemplo, já que pessoas com covid-19 necessitam de isolamento. O ator precisa compreender que a vida vai além dos likes e engajamento. Uma mudança anunciada em vídeos rápidos soa como pressa para desfazer antigos julgamentos.

Nenhum fã de Arthur Aguiar pode se queixar de falta de oportunidade. Afinal, um protagonista com salário de cinco dígitos é um grande prêmio. Perder o papel, no entanto, parece descaso com o propósito de mostrar que virou alguém mais evoluído. Não é nos stories que o ator provar que mudou, exceto para pessoas que idealizam relações.

Arthur precisa mostrar que cresceu. E, apesar das muitas tentativas, o plano de bom mocismo parece mais estratégia de marketing do que uma reflexão profunda.