PUBLICIDADE
Topo

SPFW 25 anos: Herchcovitch escolhe 6 peças para celebrar 50 anos de vida

Natália Eiras

Colaboração para Nossa

05/11/2020 20h21

Alexandre Herchcovitch completa 50 anos em julho do ano que vem. Como em uma festa adiantada, o estilista aproveitou a edição de 25 anos do São Paulo Fashion Week para relembrar sua carreira em mini-doc exibido nesta quinta-feira (5).

Para celebrar sua trajetória na moda brasileira, Alexandre escolheu 6 peças icônicas para falar sobre seu processo de criação e como ela conversa com sua história.

A primeira peça foi um vestido de noiva em tricô que foi feito por sua própria mãe. "Depois do desfile, pesamos ele e vimos que ele tinha 8 kilos", relembrou o estilista. Com as costas abertas em pequenos recortes, o visual era inspirado em roupas de viúva e tinha pontos abertos que, ao longo do comprimento do vestido, iam se fechando e ganhando mais volume.

Lembro da minha mãe tricotando-o no colo, em pleno verão, sempre trazendo novas ideias e dizendo que terminaria a tempo".

Alexandre também contou que, ao pensar em suas peças, sempre deu muita importância ao forro delas. "É a parte que fica em contato com a nossa pele", afirmou. Por isso, outra visual relembrado foi um uma pelerine em gobelin, cujo forro verde-limão era volumoso e ultrapassava o comprimento do casado. "E ele tinha um jacquard, que nada tem a ver com o que fazemos no Brasil, mas com motivos de floresta tropical", lembrou.

Em uma certa altura, o estilista diz que procura aspectos transgressores em suas coleções, que vão além das próprias referências e dos supostos usos dos materiais. "Eu tenho esse inconformismo de como os tecidos são apresentados para mim", falou.

Por isso, um outro vestido apontado por Herchcovitch foi um com tecido fluido, levemente transparente, em cores sólidas, mas que tinha correntes costuradas em seu comprimento. "Lembro que, do backstage, conseguia ouvir o barulho das correntes enquanto as modelos andavam", falou. Ele relembrou, ainda, de como foi o desfile que apresentou a peça. "Era uma passarela de inox, que chegava a ser agressiva para quem estava assistindo", disse.

Alexandre comentou, ainda, algumas personalidades que já inspirou suas coleções. "Boy George sempre foi uma referência. Não visualmente, mas pelo que ele era", falou o estilista.

O cantor, sucesso dos anos 1980, foi o ponto de partida para a criação do vestido Coração, feito em cima de uma silhueta única: camiseta ou camisa quadrada. Marilyn Monroe também já esteve representada no trabalho de Herchcovitch quando ele criou uma série de casacos de látex com modelagem semelhante aos que a artista usava.

Alexandre Herchcovitch - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Alexandre Herchcovitch
Imagem: Reprodução/YouTube

Marilyn não foi a única representante da moda antiga na trajetória de Alexandre. Ele mostrou, ainda, um conjunto de vestido e boné feito com tecido vintage, dos anos 1950. "Foi um questionamento sobre como a mulher deveria se vestir na época".

Para isso, o estilista virou a roupa ao contrário: "Aprendi técnicas de como costurar forros a mão como naquela época". De acordo com ele, a peça tinha detalhes que só se via há 70 anos.

Alexandre discorreu, por fim, sobre como nem sempre bebeu de fontes com as quais se identificava. "Procuro manter minha cabeça aberta para matérias-primas que, nem sempre, tem muito a ver comigo".