PUBLICIDADE
Topo

Turistas ganham US$ 100 para visitar cidade dos EUA na pandemia

Paisagem de Glenwood Springs na primavera - Divulgação
Paisagem de Glenwood Springs na primavera
Imagem: Divulgação

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

22/10/2020 04h00

A pandemia paralisou as viagens de lazer ao redor do mundo, deixando às moscas destinos que, em boa parte do ano, costumavam estar lotados de visitantes. Nos Estados Unidos, porém, a cidade de Glenwood Springs encontrou uma solução para reverter este quadro.

O centro urbano localizado no Colorado e famoso por causa de suas águas termais resolveu dar US$ 100 (cerca de R$ 562 em conversão de 21/10/2020) em créditos - batizados de Glenwood Gold - para pessoas que o visitassem, a serem gastos exclusivamente em negócios locais como hotéis, lojas e restaurantes.

A medida serviu para animar o turismo local prejudicado não só pela covid-19, como por um incêndio de grandes proporções em agosto, que interditou por duas semanas a rodovia Interstate 70, que dá acesso a Glenwood Springs.

Paisagens de Glenwood Springs

Como funciona

O crédito, que tem o formato que lembra um cheque, foi entregue a 1.000 pessoas que, junto com familiares ou amigos, visitaram a cidade.

Para receber o presente (que vinha em quatro vouchers de US$ 25), o turista precisava ter realizado uma reserva de pelo menos duas noites em um hotel local.

Becca Hensley em Glenwood Springs - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Becca Hensley em Glenwood Springs
Imagem: Arquivo pessoal

"A cada verão, costumo voltar para Glenwood Springs para curtir as águas termais, que são fantásticas", afirma ela. "O Glenwood Gold foi um bônus neste ano e fez com que muita gente decidisse visitar a cidade no meio da pandemia", relata a turista norte-americana Becca Hensley.

Hensley usou os vouchers para pagar parte de sua hospedagem, além de restaurantes e atrativos turísticos locais, com o Iron Mountain Hot Springs, área onde é possível curtir piscinas de águas termais ao ar livre e junto ao rio Colorado.

Voucher-propaganda

A ação estava programada para durar até o final de novembro, mas a procura pelo Glenwood Gold foi tanta que a iniciativa acabou sendo encerrada neste mês de outubro.

De acordo com Lisa Langer, diretora de promoção turística local, a maior parte dos créditos foi gasta em restaurantes, lojas e para estender estadias em meios de hospedagem.

Para completar, a iniciativa amplamente noticiada por diversos veículos de imprensa dos Estados Unidos serviu de propaganda para as paisagens da cidade (que são compostas por montanhas, cânions e áreas para entrar em águas termais).

Glenwood Gold - Divulgação - Divulgação
O voucher Glenwood Gold
Imagem: Divulgação

Outras iniciativas para atrair turistas

E não é só Glenwood Springs que tem criado ações para reaquecer seu mercado turístico durante e no pós-pandemia.

Famoso por suas praias e resorts paradisíacos, o arquipélago da Maldivas, por exemplo, está desenvolvendo um programa de fidelidade que dará benefícios para turistas que visitem com frequência o país asiático (o programa deve ser oficialmente lançado no final deste ano. Os benefícios ainda não foram divulgados).

Já a República Dominicana anunciou que, até 31 de dezembro deste ano, oferecerá um seguro viagem para turistas que desembarquem no país, que é ativado no momento do check-in no hotel (para ter o plano de assistência, o viajante deve se hospedar em um hotel na República Dominicana).

Cayo Levantado, na República Dominicana - Dominican Republic Ministry of Tourism - Dominican Republic Ministry of Tourism
Cayo Levantado, na República Dominicana
Imagem: Dominican Republic Ministry of Tourism

Segundo o governo da nação caribenha, o seguro proporcionará, sem qualquer custo adicional, "atendimento completo, com cobertura de emergências médicas [incluindo casos de covid-19], consultas, internações e medicamentos, assim como estadia prolongada para emergências médicas, atendimento com especialistas, medicamentos no caso de internações, traslados de emergência e o pagamento de gastos médicos e dos custos das multas por alterações de voos".

E Barbados lançou, durante a pandemia, um programa que permite que pessoas que trabalham em home office se mudem para o país e fiquem lá por até um ano.

"Sabemos que mais pessoas estão trabalhando remotamente, às vezes em condições muito estressantes e com poucas opções de férias", diz Mia Amor Mottley, primeira-ministra do país. "Por isso, estamos com um programa que permite que estrangeiros venham e trabalhem desde um destinos turísticos mais amados do mundo".