PUBLICIDADE
Topo

Vai viajar no feriado? Como se proteger contra o contágio pelo coronavírus

Casal viaja de carro com máscaras - Getty Images
Casal viaja de carro com máscaras
Imagem: Getty Images

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

09/10/2020 04h00

O feriado de 12 de outubro cairá em uma segunda-feira e, a exemplo do que ocorreu no Dia da Independência, deve motivar muitas viagens pelo Brasil. Diante da pandemia do coronavírus, no entanto, o turista deve ficar atento a cuidados para evitar a infecção.

Em entrevista ao Nossa, o médico Cesar Figueiredo, conselheiro responsável pela Câmara Técnica de Doenças Infecciosas do Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro), dá dicas essenciais para quem pretende viajar com segurança no feriado.

Evitar aglomerações

Evite locais lotados, como a praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, no feriado da Independência - Herculano Barreto Filho/UOL - Herculano Barreto Filho/UOL
Evite locais lotados, como a praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, no feriado da Independência
Imagem: Herculano Barreto Filho/UOL

Com altas temperaturas marcando presença no Brasil, tem sido comum ver praias lotadas em diversas cidades do país.

Ainda é recomendável evitar lugares com muita gente, que sejam muito frequentados por turistas.

E aí podem ser incluídos parques, praias e cachoeiras", avisa o médico, ressaltando que lugares com aglomerações facilitam a disseminação do coronavírus entre seus visitantes, mesmo que estejam ao ar livre.

"Manter o distanciamento social ainda é fundamental para nos proteger de uma infecção por covid-19", diz ele. "A maior dica para quem quer viajar é procurar lugares que não sejam concorridos. A praia da moda com certeza estará lotada".

Carro é mais seguro

Na hora de viajar na pandemia, dê preferência a trajetos com carro próprio - Getty Images - Getty Images
Na hora de viajar na pandemia, dê preferência a trajetos com carro próprio
Imagem: Getty Images

De acordo com Figueiredo, viajar de carro é mais seguro do que pegar ônibus ou avião no feriado. Mas, mesmo em um veículo próprio, o turista deve tomar precauções.

"Primeiramente, é essencial levar álcool em gel, para higienizar as mãos sempre que necessário", diz ele.

Depois, evite paradas no caminho, em lugares onde haja aglomeração. Restaurantes e lanchonetes de beira de estrada são lugares quase sempre cheios e com ambientes fechados. Se for possível, leve alimentos diretamente de casa para comer no carro. Mas é importante que eles estejam conservados de maneira adequada".

Caso o viajante tenha que estacionar em um posto de serviço na estrada (para ir ao banheiro, por exemplo), é fundamental o uso de máscara e a higienização das mãos após tocar em qualquer superfície.

Airbnb ou hotel?

Para o médico, hospedar-se em residências do Airbnb pode ser mais seguro do que ficar em hotéis ou pousadas.

"Ao alugar um Airbnb, o turista tem mais privacidade. Ali, não haverá a circulação de outros hóspedes e funcionários. E, assim, é possível manter distância de pessoas estranhas e evitar a exposição a uma possível infecção pelo novo coronavírus", avalia ele. "Hotéis oferecem um ambiente que é muito movimentado, com espaços que são compartilhados por muitas pessoas, como as áreas de refeições".

Figueiredo, entretanto, recomenda que, ao se hospedar em um Airbnb, o hóspede verifique se o proprietário do imóvel adota altos padrões de higienização no imóvel.

Se, nos dias anteriores, o lugar recebeu uma pessoa infectada por covid-19 e não foi higienizado corretamente, o novo hóspede pode ficar exposto ao contágio".

Check-in seguro

Distanciamento, álcool em gel e máscaras são itens essenciais na hora do check-in - Getty Images - Getty Images
Distanciamento, álcool em gel e máscaras são itens essenciais na hora do check-in
Imagem: Getty Images

Segundo Figueiredo, na hora de fazer o check-in (seja no Airbnb ou hotel) e interagir com o responsável pela hospedagem, é fundamental o turista estar de máscara e manter o máximo de distância possível do interlocutor.

"E, ao encostar em qualquer objeto, evite tocar a mão no rosto até higienizá-la com água e sabão ou álcool em gel", recomenda. "Junto com distanciamento social e uso de máscara, higienização deve ser a palavra-chave de qualquer viagem neste momento".

Segurança na alimentação

Se a fome bater na praia ou em outro tipo de destino turístico onde haja grande oferta de restaurantes ou quiosques, Figueiredo indica que o turista verifique os padrões de higienização do local antes de comprar qualquer tipo de comida.

"É importante checar se as pessoas que preparam os alimentos estão usando máscara e tentar ver os padrões gerais de higiene do lugar. Também não manuseie o alimento após tocar em qualquer superfície", diz, recomendando o álcool em gel para desinfetar as mãos constantemente.

Fique de olho na higiene de restaurantes e quiosques. Se puder, leve seu próprio alimento - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Fique de olho na higiene de restaurantes e quiosques. Se puder, leve seu próprio alimento
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Além disso, o médico indica a opção de o turista carregar seus próprios alimentos e bebidas, em um isopor ou em outro tipo de recipiente que conserve a qualidade dos produtos. "Desta maneira, você tem mais controle sobre o que vai comer, sabendo como aquilo foi preparado e conservado".

Figueiredo também aponta os restaurantes como locais onde pode haver aglomerações.

Para quem pretende ficar em Airbnb, vale a pena alugar um imóvel equipado com cozinha. Assim, é possível preparar as principais refeições do dia no próprio Airbnb (com alimentos trazidos de casa) - evitando, desta maneira, dividir espaço com estranhos em restaurantes.

Transmissão através da água do mar

É improvável se infectar num mergulho, mas não despense a máscara quando for à praia - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
É improvável se infectar num mergulho, mas não despense a máscara quando for à praia
Imagem: Getty Images/iStockphoto

"É muito improvável que a transmissão do coronavírus ocorra através da água do mar, de cachoeiras ou de piscinas", explica Figueiredo.

Mas o médico avisa que, mesmo assim, as pessoas devem evitar aglomerações quando estiverem dando um mergulho. E, para ele, o verdadeiro problema não está na água, mas na areia da praia, onde turistas têm se juntado em grandes números recentemente.

E, sim, é necessário usar máscara na praia", avisa.

Grupos de risco

Pessoas do grupo de risco devem evitar viagens, segundo médico - Getty Images - Getty Images
Pessoas do grupo de risco devem evitar viagens, segundo médico
Imagem: Getty Images

Figueiredo afirma que pessoas pertencentes aos chamados grupos de risco "devem, sim, se precaver mais e evitar viagens neste momento".

Entram aí, por exemplo, hipertensos, diabéticos, asmáticos e idosos.