PUBLICIDADE
Topo

Turistas vão em massa a Dubai para fugir dos confinamentos

Turistas circulam no bairro histórico de Al-Fahidi, em Dubai - Karim Sahib/AFP
Turistas circulam no bairro histórico de Al-Fahidi, em Dubai Imagem: Karim Sahib/AFP

18/01/2021 18h46

Dubai abre suas portas para os turistas que fogem dos confinamentos impostos no mundo contra a pandemia de coronavírus. Apresenta-se como um lugar ensolarado, sem quarentena ou toque de recolher, apesar do aumento dos contágios.

Enquanto outros destinos turísticos aplicam restrições para controlar a crise de saúde, o emirado do Golfo vibra com a agitação dos bares da moda e o Instagram está repleto de fotos de arranha-céus ou do deserto.

"Aqui não tenho medo. Olhe, todo mundo usa máscara", afirma Dimitri Melnikov, um turista russo de 30 anos.

Desde o início da crise, as autoridades de Dubai se gabam por ter controlado a pandemia, graças às novas tecnologias e às multas altas para estimular as pessoas a usarem a máscara. Nos locais públicos também se impõe o distanciamento físico.

Na chegada, os turistas devem apresentar um teste PCR negativo recente e/ou fazer um no aeroporto de Dubai.

Não há estatísticas específicas sobre as infecções em Dubai. Com seus cerca de 2,9 milhões de habitantes, é um dos sete principados que formam os Emirados Árabes Unidos.

Em escala nacional, o número diário de casos — cerca de 3.400 — quase dobrou desde 1o de janeiro.

No total, o país, que lançou uma campanha de vacinação, registra oficialmente mais de 253.000 casos e 745 mortes, para uma população de aproximadamente 10 milhões de habitantes.

"Mais segura"

Burj Al Arab - Getty Images - Getty Images
Burj Al Arab, o principal cartão-postal de Dubai
Imagem: Getty Images

No bairro histórico de Al-Fahidi, muitos turistas, com máscara, caminham pelas ruas e tiram fotos das construções de pedra na beira do canal, que lembram a Dubai de antigamente. Há frascos de álcool em gel por todas as partes e as placas alertam sobre as medidas contra o coronavírus.

A proteção da população é uma prioridade, garante Naser Jomaa ben Suleiman, responsável do distrito. "O número de turistas foi limitado para 20 por guia, em vez de 100, para reduzir a ocupação", explica à AFP.

"Me sinto mais segura aqui do que nos Estados Unidos, porque acredito que as pessoas respeitam mais o uso da máscara e o distanciamento físico", declara Andi Pitman, uma americana que veio passar cinco semanas em Dubai com sua família.

O turismo é um dos pilares da economia de Dubai, que recebeu 16 milhões de visitantes em 2019 e, antes da pandemia, apostava em chegar aos 20 milhões em 2020.

Dubai, pobre em petróleo mas com a economia mais diversificada do Golfo, reabriu suas portas aos turistas em julho passado, depois de um período de confinamento rigoroso.