PUBLICIDADE
Topo

Ao socorrer restaurantes, Jacquin relembra passado: "eu já chorei, xinguei"

Erick Jacquin é o apresentador de "Pesadelo na Cozinha" - Carlos Reinis/Band
Erick Jacquin é o apresentador de "Pesadelo na Cozinha" Imagem: Carlos Reinis/Band

Denise de Almeida

Do UOL

26/01/2017 04h00

Com a experiência de quem já fechou as portas do seu próprio restaurante, Erick Jacquin agora vai tentar salvar outras cozinhas que estão à beira da falência. O chef francês, que caiu nas graças do público como jurado do reality MasterChef, estreia nesta quinta (26) “Pesadelo na Cozinha”, novo programa que vai tentar levar 13 estabelecimentos do fracasso ao sucesso.

A produção, versão nacional para o Kitchen Nightmares, com o britânico Gordon Ramsay, fez Jacquin revisitar seu passado de complicações na carreira e se reconhecer no desespero dos empreendedores endividados. "A perda de confiança dos donos é o mais chocante. O problema é quando o ser humano, desesperado e deprimido, fala 'eu não sou ninguém'. Eu passei por isso", conta o chef.

Ele comandou, de 2006 a 2014, o restaurante La Brasserie Erick Jacquin, em São Paulo, que, segundo o chef, empregava 90 pessoas. Muito elogiado pela crítica gastronômica, o local acumulou não só prêmios, mas muitas dívidas. "Eu chorei, eu xinguei, eu estou pagando ainda. Só as pessoas que têm experiência podem ajudar os outros. Um padre que não acredita em Deus não pode fazer a missa, não é?”, analisa o chef.

Após o fechamento do empreendimento, Jacquin não quis um negócio próprio tão complexo. Hoje ele é chef consultor dos restaurantes Tartar&co e Le Bife --este último, que funciona no mesmo endereço onde ficava o La Bresserie.

Analisando a possibilidade de voltar a ser dono, o chef enfatiza que hoje optaria por outro estilo de negócio: com dois colegas e a mulher como sócios, tiraria finais de semana e segunda-feira de folga. "O prazer de cozinhar é uma coisa, eu amo cozinhar. Amo conversar com os clientes, ficar no bar, bebendo um drink com o cliente. Essa profissão é minha paixão, mas não pode ser do jeito que era".

Erick Jacquin já teve seu próprio restaurante, que fechou as portas em 2014 - Kelly Fuzaro/Band - Kelly Fuzaro/Band
Erick Jacquin já teve seu próprio restaurante, que fechou as portas em 2014
Imagem: Kelly Fuzaro/Band

"Não pode dar uma Ferrari se o cara não quer pilotar"

Na nova atração, cardápios ultrapassados, falta de higiene, desorganização e problemas de entrosamento entre proprietários e funcionários serão avaliados por Jacquin, além da qualidade dos pratos oferecidos.

Após a análise inicial, as sugestões do chef são colocadas em prática --o que inclui até mesmo reforma dos espaços. Depois, o lugar é reaberto e reavaliado por Jacquin.

"A gente deixa o restaurante pronto, faz o melhor, do jeito que a gente pode. Mas depois é com eles. A gente não pode dar uma Ferrari para uma pessoa se o cara não quer pilotar", brinca, ao ser questionado sobre o futuro das cozinhas visitadas. Na versão britânica do programa, 60% dos estabelecimentos fecharam após a repaginada de Ramsey.

O programa vai mostrar o antes e depois de 12 restaurantes de São Paulo e um do Rio de Janeiro, focados em cozinha italiana, espanhola, mexicana, brasileira, árabe e hamburgueria, entre outras especialidades.

Pesadelo na Cozinha será exibido às quintas-feiras, às 22h30, na Band, e aos domingos, às 20h, no Discovery Home&Health, com reprises às sextas, às 23h.