PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Opinião: Grêmio tem um elenco caro e limitado

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

27/10/2021 07h55

A situação do Grêmio torna-se cada vez mais difícil, como o Imortal foi derrotado pelo Atlético Goianiense, agora precisa vencer seis das doze partidas restantes do Brasileirão, ou seja, 50% de aproveitamento para o time que está no Z-4 desde a segunda rodada do campeonato.

A missão quase impossível de salvar o Grêmio é delegada ao treinador, Vagner Mancini, que assumiu o time há duas rodadas e tem de salvá-lo de um furacão de equívocos e problemas. O técnico cometeu alguns erros no último jogo, como a escolha por Paulo Miranda e a substituição para a entrada de Luiz Fernando.

Apesar dos erros de Mancini, é verdade que o grupo de jogadores do Grêmio é limitado e demonstrou ser incapaz também. Segundo informações do SofaScore, o tricolor tem cerca de 10 chutes por partida, mas acerta apenas 4 no gol. Com o aproveitamento de 40% das chances criadas e 0,9 gol por jogo, podemos compreender a estado atual do time.

Para saber tudo sobre o Grêmio, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Não se trata apenas de esquema tático, estilo de jogo do técnico ou escalação de jogadores, os próprios atletas são insuficientes. Segundo o GZH, a folha salarial do Grêmio custa 14 milhões de reais e é uma das mais caras do Brasil. A qualidade dos jogadores fala muito pelo time, pois um chute com precisão pode mudar uma partida, e times menores tem jogadores mais “mortais” mesmo com folhas salarias mais baratas.

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Alisson chutou duas vezes contra o Atlético GO e ambas foram para fora e longe da meta adversária. Ele tentou 11 cruzamentos e acertou apenas um. Alisson é um jogador para compor grupo, não para carregar um time nas costas. Paulo Miranda é insuficiente para a defesa e já demonstrou ser comprometedor diversas vezes, mas continua a ser opção para o grupo.

Vanderson é bom ofensivamente, mas inexperiente na defesa. A lateral-esquerda tem Rafinha improvisado, que não consegue cruzar com a perna ruim, forçou um cartão desnecessário no último jogo e agora está fora da partida contra o Palmeiras. Os laterais-esquerdo são considerados ruins e foram mantidos por erros da direção. Luiz Fernando como solução serve apenas para irritar a torcida do Grêmio. Jean Pyerre nunca demonstrou o futebol esperado dele. Sem falar nos atletas afastados do grupo principal. Há tantos problemas relacionados aos jogadores, que seria impossível citar todos.

Apesar de ter poucas opções no elenco, Mancini pretende fazer testes com jogadores durante as partidas, como disse em sua última entrevista. O problema é que o Grêmio não tem tempo para testes e método científico, os resultados são só o que importam para o tricolor e sua torcida.

- A ideia era colocar um time mais maduro, por isso a escolha do Paulo Miranda e outros atletas. Eu não posso chegar aqui e continuar fazendo aquilo que não estava dando certo, quando eu chego no clube tenho que tomar as minhas decisões e assumo as responsabilidades - afirmou Mancini.

Com essa mistura de desorganização, incapacidade, altos salários e problemas no vestiário, o Grêmio tenta se remontar o suficiente para continuar na Série A, e Dênis Abrahão continua seu trabalho na tentativa de salvar o tricolor. Os próximos jogos são decisivos e contra adversários fortes: Palmeiras, Atlético MG e Internacional.

Futebol