Topo

Esporte


Egito expulsa jogador da seleção acusado de assédio sexual

Amr Warda, durante partida pela seleção do Egito - REUTERS/Amr Abdallah Dalsh
Amr Warda, durante partida pela seleção do Egito Imagem: REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

26/06/2019 16h38

Antes do duelo de hoje com a República Democrática do Congo pela Copa Africana de Nações, a seleção do Egito anunciou a expulsão de Amr Warda após o meia ter sido denunciado por assédio sexual por várias mulheres.

"O presidente da EFA (federação de futebol do Egito), Hani Abu Reda, decidiu expulsar Amr Warda da seleção nacional depois de conversar com as comissões técnica e administrativa da equipe para manter o estado de disciplina, o compromisso e a concentração do elenco", disse a entidade em breve comunicado divulgado nas redes sociais.

Na semana passada, a modelo Merhan Keller revelou conversas com o jogador do PAOK Salonika através do Instagram, nas quais Warda insistia "para que fosse visitá-lo na Grécia antes de se concentrar com a sua seleção".

Diante da recusa, a modelo afirmou que o jogador a ameaçou, além de chamá-la de "estúpida" e "prostituta", segundo as capturas de tela da conversa divulgadas pela própria Keller.

Outras mulheres também denunciaram publicamente o jogador através do Twitter, rede por meio da qual, segundo elas, Warda lhes enviou vídeos com conteúdo sexual.

As acusações de assédio levaram o jogador a encerrar sua conta com mais de 2 milhões de seguidores no Instagram.

Esta não foi a primeira vez que o jogador de 25 anos se envolve em um caso do tipo. Em 2017, quando atuava pelo Feirense, de Portugal, também foi acusado de assediar as esposas de dois companheiros de equipe.

Warda fez parte da delegação do Egito na Copa do Mundo da Rússia, no ano passado, e escreveu um pedido de desculpas ao seu povo após a eliminação na fase de grupos.

Esporte