PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Rússia apoia continuidade de Infantino na presidência da Fifa

21/02/2019 11h16

Moscou, 21 fev (EFE).- A Rússia é favorável a um segundo mandato do presidente da Fifa, o suíço Gianni Infantino, que não terá oposição nas eleições realizadas no dia 5 de junho, durante o Congresso de Paris, já que nenhuma outra candidatura foi apresentada dentro do prazo estabelecido.

A vice-primeira-ministra da Rússia, Olga Golodets, afirmou à agência estatal "TASS" que Infantino é "educado, honesto e um verdadeiro profissional" e conseguiu fazer uma grande Copa do Mundo com a Rússia no ano passado.

"O que foi feito durante o Mundial evoca um grande respeito. Infantino está comprometido com os princípios olímpicos no esporte, promove oportunidades para atividades esportivas entre diferentes grupos populacionais e é muito ativo no apoio às mulheres no esporte", comentou.

O apoio à Rússia não é uma surpresa. No dia 6 de fevereiro, o presidente Vladimir Putin concedeu a Ordem da Amizade a Infantino "pela sua importante contribuição à preparação e realização da Copa do Mundo".

A ordem, instituída em 1994, é um reconhecimento aos célebres estrangeiros que trabalharam a favor da melhoria das relações com a Rússia.

Para o governo russo, o Mundial foi um sucesso, e não só porque quebrou muitos estereótipos sobre o país, como disse Putin em julho do ano passado, mas também pelos mais de três milhões de ingressos vendidos, uma audiência televisiva "enorme" e a visita de mais de um milhão de estrangeiros registrada durante o evento.

Além disso, pela primeira vez a seleção russa chegou às quartas de final de uma edição do torneio, na qual foi eliminada nos pênaltis pela Croácia, que acabou sendo vice-campeã. EFE

Esporte