PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Tite evita falar em grupo fácil e diz que prioridade inicial é jogar bem

24/01/2019 23h04

Rio de Janeiro, 24 jan (EFE).- O técnico Tite fugiu dos comentários de que a seleção brasileira teria caído no grupo mais fácil da Copa América, definido nesta quinta-feira em sorteio no Rio de Janeiro e que conta com Bolívia, Venezuela e Peru, e destacou que pensa primeiramente em montar uma equipe que jogue um bom futebol.

"O (Francisco) Maturana (ex-técnico da Colômbia) foi muito feliz, e agora eu faço minhas as palavras dele. Ele falou: 'sorteio é sorteio'. O resultado não se faz olhando para o grupo, mas olhando para dentro da própria equipe e jogando um grande futebol. O sucesso está em um grande desempenho, acima de qualquer sorteio. Tem que jogar muito, e depois ser campeão", declarou Tite na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, onde aconteceu a cerimônia que definiu o chaveamento do torneio.

O treinador da seleção anfitriã da edição de 2019 admitiu, porém, que há certa pressão para que o Brasil chegue à final, já que esta seria a única possibilidade de disputar uma partida no Maracanã.

"O que nós temos de responsabilidade é de desempenho alto, de trabalhar com alegria, de ter orgulho por poder representar, tanto eu quanto os atletas, o Brasil dentro do país. Jogador pergunta para jogador: 'você jogou no Maracanã?'. Se diz que não jogou, o outro responde: 'então você não jogou bola'", afirmou o técnico, que se esquivou de uma pergunta sobre a possibilidade de ser demitido em caso de fracasso no torneio, que será realizado do dia 14 de junho ao dia 7 de julho.

"É um projeto, uma ideia. Embora a gente saiba que se trata de um país onde as emoções fervem, onde a troca com a busca pelo melhor se faz presente. Eu quero estar em paz comigo mesmo. Tenho a responsabilidade de representar bem o Brasil no meu cargo", comentou.

A última partida da equipe pentacampeã mundial na fase de grupos será contra o Peru, no dia 22 de junho, na Arena Corinthians. O duelo representa um reencontro entre Tite e Paolo Guerrero, dois dos heróis do bicampeonato mundial obtido pelo clube paulista em 2012.

"Tenho uma gratidão e um respeito por ele muito grandes. Ele sabe disso. Dentro das regras, das leis, das normas, da correção, quero que ele esteja presente sim. A gente é só adversário, não é inimigo, e tem gratidão", salientou.

Guerrero está suspenso por doping até o dia 23 de abril, o que, portanto, o libera para a disputa da Copa América. Já Lionel Messi não joga pela Argentina desde a Copa do Mundo e não tem presença garantida. Tite deixou claro seu desejo de que esses e outros grandes jogadores estejam no Brasil para disputar a competição.

"Quero o Messi e todos os melhores atletas. De novo, eu falo, uma equipe tem que ser a melhor, tem que vencer com orgulho próprio e com a própria competência, superar o adversário com atletas de alto nível. E não estou falando da boca para fora. Tem que estar Neymar, tem que estar Messi, Sánchez, Suárez... Também o Guerrero. Os melhores jogadores têm que estar", disse. EFE

Esporte