PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Tabárez diz que receita do Uruguai para conquistar Copa América é surpreender

24/01/2019 23h13

Rio de Janeiro, 24 jan (EFE).- O técnico do Uruguai, Óscar Tabárez, quer que a 'Celeste' surpreenda na Copa América deste ano, que será disputada no Brasil, para repetir o título conquistado em 2011 e, assim, consolidar a renovação iniciada por ele na última edição da Copa do Mundo.

Em entrevista concedida depois do sorteio dos grupos da Copa América em evento realizado no Rio de Janeiro, o treinador uruguaio ressaltou a história de sua seleção no torneio e deu a receita para a 'Celeste' conquistar o 16º título da competição.

"Esperamos surpreender. Quando o Uruguai surpreendeu, ganhou. Neste momento, sei que ganhamos 15 vezes a Copa América, somos o país que mais ganhou e temos uma história que nos empurra, mas também uma prudência que parte da nossa maneira de ser, e me refiro a todo o grupo de trabalho, jogadores incluídos", afirmou Tabárez.

Mesmo mostrando otimismo quanto às perspectivas no Uruguai na Copa América, o treinador também ressaltou as dificuldades do torneio e elogiou a qualidade das outras equipes participantes.

"A realidade se dá dentro das partidas, e para isso é preciso se preparar bem e buscar a vitória. Sabendo que isso é difícil, que todos vão buscar o mesmo sonho e só um consegue", afirmou.

"É minha sétima Copa América, e não se pode falar muito antes. Cada uma tem sua história, e essa história se escreve em junho e julho, não antes disso", complementou o técnico, citando os meses de disputa da competição, que volta ao Brasil após 30 anos - daquela vez, em 1989, a geração de Romário e Bebeto foi campeã justamente sobre a 'Celeste', em final vencida por 1 a 0 no Maracanã.

Um dos cabeças de chave da Copa América, o Uruguai ficou no grupo C, ao lado de Chile, atual campeão, Equador e Japão, convidado pela Conmebol.

Tabárez não se surpreendeu com o caminho que a 'Celeste' precisará trilhar para chegar até a decisão, outra vez no Maracanã, no dia 7 de julho, e destacou o equilíbrio das seleções.

"Creio que as chaves são parelhas, dentro de um nível que já esperávamos antes do sorteio. Há um nível de paridade, há equipes que cresceram muito. E há outras, como Brasil e Argentina, que tem o potencial de sempre", disse.

Para surpreender, Tabárez aposta na renovação comandada por ele desde a última Copa do Mundo. Se o ataque da 'Celeste' tem nomes consagrados, como Luis Suárez e Edinson Cavani, o meio de campo vem ganhando novas caras, elogiadas pelo comandante nesta quinta-feira.

"Não sei como vamos nos apresentar futebolisticamente. Tenho ideias de como trabalhar, temos partidas de data Fifa. Estamos em uma etapa de renovação, e há jogadores que foram integrados ao time, sobretudo no meio-campo, entre 2017 e 2018. Estão em plena evolução e já trouxeram uma mudança para o nosso futebol, o que é o principal fator de rendimento. E também no plano individual, eles deram novas características à equipe", disse Tabárez.

"Temos esperança, não só neles, mas em toda a equipe", completou.

Um desses nomes é Giorgian de Arrascaeta, que recentemente trocou o Cruzeiro pelo Flamengo em uma das principais negociações do futebol brasileiro no ano. Perguntado se o meia-atacante será titular na Copa América, Tabárez disse que leva em conta muitos fatores para escalar a seleção do Uruguai.

"A titularidade não é um título imobiliário. Se ganha dentro do campo, depende dos companheiros, depende dos rivais, de muitas coisas. É um jogador que já estava nas categorias de base, e lá nos conhecemos. Sabemos de quem se trata, ele tem muito para evoluir e para contribuir. E ele sempre foi considerado por nós nos últimos tempos", concluiu. EFE

Esporte