PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Governo da Argentina proíbe 284 torcedores do River de entrarem em estádios

Andrea Comas/AP
Imagem: Andrea Comas/AP

Da EFE, em Buenos Aires

15/01/2019 15h36

O Governo argentino proibiu nesta terça-feira (15) por tempo indeterminado a entrada em estádio de 284 barras bravas do River Plate - entre eles Héctor Godoy, líder de uma das principais torcidas organizadas do clube de Buenos Aires - devido à revenda proibida de ingressos para a final da última Copa Libertadores.

A medida foi publicada hoje no Boletim Oficial argentino, com as identidades e documentos de cada um dos acusados, e tem a assinatura de Guillermo Madero, titular do Diretório Nacional de Segurança em Espetáculos Futebolísticos, ligado ao Ministério de Segurança.

Leia também:

A investigação começou em 25 de novembro, horas antes da partida entre River Plate e Boca Juniors que definiria o campeão continental, mas que acabou adiada devido a um ataque ao ônibus da equipe 'xeneize'.

Segundo o Boletim Oficial, como consequência da infração, a Polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa de Godoy. No local, foram encontradas entradas nominadas e que pertenceriam ao grupo denominado 'Los Borrachos del Tablón'. O caso terá desdobramentos judiciais, e é prevista a prisão de um a seis anos, segundo a lei argentina.

Desde 2016, já com o Governo do presidente Mauricio Macri, o Estado divide com os clubes a responsabilidade de aplicar as proibições de entrada em estádios na Argentina.

Esporte