PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente da federação afegã de futebol é proibido de sair do país

28/12/2018 12h09

Cabul, 28 dez (EFE).- As autoridades afegãs proibiram o presidente da federação de futebol do país (AFF) e outros quatro integrantes da diretoria da entidade de deixarem o território nacional em meio à investigação de acusações de agressão sexual feitas por jogadoras da seleção.

Segundo informações passadas à Agência Efe pelo porta-voz da Procuradoria-Geral afegã, Jamshid Rasooly, a proibição ao presidente da AFF, Keramuddin Keram, e a outros quatro dirigentes foi imposta "depois do progresso no processo de investigação dos casos contra as autoridades". Entretanto, a fonte não deu detalhes dos resultados obtidos pelos investigadores.

A restrição de sair do Afeganistão chega depois que no último dia 9 a Procuradoria-Geral suspendeu de maneira temporária parte da direção da federação, incluindo Keram, para evitar qualquer tipo de interferência no trabalho da justiça.

Em novembro, a imprensa internacional revelou as acusações de abuso sexual por parte de várias jogadoras da seleção feminina do país, classificadas como infundadas pela AFF. As autoridades então criaram uma comissão independente para investigar os casos.

O futebol é, junto ao críquete, um dos esportes preferidos dos afegãos, mas ganhou força nos últimos 17 anos, depois que o regime dos talibãs, que proibiam os esportes femininos, foi derrubado pela invasão americana. EFE

Esporte