PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Acordo com a MBL permitirá que cubanos atuem profissionalmente nos EUA

19/12/2018 22h56

Havana, 19 dez (EFE).- A Federação Cubana de Beisebol (FCB) anunciou nesta quarta-feira que assinou um acordo com a Major League Baseball (MLB), a liga americana da modalidade, que permitirá que jogadores do país assinem contratos com as 30 equipes profissionais dos Estados Unidos.

Em outras palavras, o acordo põe fim às fugas que muitos jogadores cubanos tiveram que recorrer para chegar aos EUA e completar o sonho de jogar na principal liga do esporte.

O acordo foi negociado ao longo de três anos e garante uma relação de parceira, estável e não politizada entre MLB e FCB.

Os jogadores da ilha poderão atuar por equipes americanas sem perder a nacionalidade do país nem o vínculo com a seleção cubana de beisebol, como ocorria em casos de fuga.

Para a FCB, o acordo é um "modo legítimo" para que os jogadores cubanos possam jogar em "igualdades de condições" na MLB, sem precisar romper seus vínculos com o país.

A parceria também vale para cubanos que se mudaram para um terceiro país e, de lá, foram contratados por equipes que disputam a liga americana. Essa modalidade de "fuga" cresceu nos últimos cinco anos. Em 2015, mais de cem jogadores cubanos usaram esse caminho.

O governo de Cuba espera que a parceria contribua para conter atividades ilícitas, como o tráfico de pessoas, já que vários jogadores recorreram a esse tipo de serviço para chegar aos EUA.

Segundo o acordo, a FCB deverá liberar todos os jogadores contratados por equipes americanas que tenham mais de 25 anos e seis de experiência na Série Nacional do Campeonato Cubano. Os atletas que não cumprirem esses requisitos poderão ser autorizados a competir nos EUA, mas contratados como amadores.

Além disso, a entidade receberá uma quantia para liberar cada atleta, valor independente das negociações entre ele e sua equipe.

A entidade que comanda o beisebol cubano acredita que o acordo terá um impacto positivo para muitos atletas do país e o avaliou como um reconhecimento da qualidade do esporte na ilha. EFE

Esporte