PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Campeão do mundo Marcello Lippi anuncia que deixará a seleção chinesa

Marcelo Lippi vai deixar a seleção da China no início do próximo ano - Lintao Zhang/Getty Images
Marcelo Lippi vai deixar a seleção da China no início do próximo ano
Imagem: Lintao Zhang/Getty Images

31/10/2018 08h44

O treinador italiano Marcello Lippi, campeão do mundo em 2006, não renovará seu contrato e deixará o comando da seleção da China no final de janeiro de 2019, anunciou o treinador em entrevista publicada nesta quarta-feira pela emissora de televisão estatal CGTN.

Na entrevista, realizada ontem em cerimônia de prêmios de futebol em Mônaco, Lippi afirmou que deseja retornar para casa com sua família após ter trabalhado no exterior durante seis anos.

"Acho que trabalhei bem e melhoramos", uma melhoria que não foi suficiente, já que, reconheceu o técnico. "Começamos muito de abaixo".

Durante seu período à frente da seleção, Lippi conseguiu fazer com que a China subisse da 84ª para a 75ª posição no ranking da Fifa.

O italiano foi apresentado como treinador da seleção chinesa há dois anos, depois de treinar o Guangzhou Evergrande entre 2012 e 2014.

Apesar das expectativas em torno de sua contratação, Lippi não conseguiu classificar a China para a Copa do Mundo de 2018, embora ele tenha sempre ressaltado que seu principal objetivo era "fazer o futebol crescer" no país.

Assim, o treinador se despedirá da seleção chinesa após disputar a Copa da Ásia em janeiro, que acontecerá nos Emirados Árabes Unidos e na qual a China enfrentará Coreia do Sul, Quirguistão e Filipinas na fase de grupos.

O italiano é o único treinador do mundo que foi campeão da Liga dos Campeões da Europa (com a Juventus, em 1996) e também a Liga dos Campeões da Ásia (com o Guangzhou Evergrande, em 2013).

Segundo a imprensa chinesa, o salário de Lippi é de mais de US$ 20 milhões anuais, comparável aos de treinadores como o espanhol Pep Guardiola e o português José Mourinho nos dois grandes clubes de Manchester.

Esporte