PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Márquez abandona, Viñales vence na Austrália e encerra jejum da Yamaha

28/10/2018 13h01

Phillips Island (Austrália), 28 out (EFE).- O espanhol Maverick Viñales (Yamaha) aproveitou o abandono do compatriota Marc Márquez (Honda), pentacampeão antecipado, venceu neste domingo o Grande Prêmio da Austrália de MotoGP e quebrou o pior de jejum de vitórias da equipe de Iwata na história da categoria.

Desde o GP da Holanda do ano passado, com o italiano Valentino Rossi, que a Yamaha não subia ao topo do pódio. Passaram-se 25 corridas até que hoje, no circuito de Phillip Island, Viñales encerrou a sequência negativa.

O espanhol da moto número 25 assumiu a ponta na oitava volta, com Márquez já fora, ao ultrapassar Andrea Dovizioso e não deu mais chances à concorrência. O italiano da Ducati teve de contentar com a terceira posição, ao ficar atrás também do compatriota Andrea Iannone (Suzuki).

No campeonato, nada mudou entre os primeiros colocados. Márquez, pentacampeão com três provas de antecipação, tem 296 pontos, 86 a mais que Dovizioso, dono da segunda posição. O também italiano Valentino Rossi (Yamaha), ainda é terceiro, com 195, contra 180 de Viñales, quarto.

Márquez permaneceu na pista por apenas cinco voltas. Largou na pole position, mas saiu mal e caiu para quinto. Na tentativa de recuperar posições, se atrapalhou ao tentar passar pelo francês Johann Zarco (Tech 3 Yamaha), teve danos na moto e se viu obrigado a abandonar.

Já o ítalo-brasileiro Franco Morbidelli (Marc VDS Honda) pontuou pelo quarto GP seguido ao ser oitavo colocado e vem em 14º no Mundial.

Nas outras categorias, a briga pelo título ainda está aberta. O italiano (VR46 Kalex) ainda lidera a Moto2, mas foi apenas o 12º na Austrália e tem 288 pontos. Para sua sorte, o português Miguel Oliveira (Red Bull KTM Ajo), vice-líder da classificação, ficou em 11º e soma 252. O vencedor da corrida foi o sul-africano Brad Binder (Red Bull KTM Ajo), terceiro na temporada, mas já sem chances de ser campeão.

Na Moto3, a vantagem do espanhol Jorge Martín (Gresini Honda) na liderança subiu de um para 12 pontos porque ele foi quinto na corrida e o segundo colocado do Mundial, o Marco Bezzecchi (Prüstel KTM) abandonou. Quem recebeu a bandeirada em primeiro foi Albert Arenas (Ángel Nieto KTM), também da Espanha.

Esporte