PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente da Argentina admite que não gostaria de final entre Boca e River

23/10/2018 18h32

Buenos Aires, 23 out (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, ex-mandatário do Boca Juniors, admitiu nesta terça-feira, em entrevista à uma rádio local, que não gostaria de uma decisão de Taça Libertadores que envolvesse o clube que dirigiu e o arquirrival River Plate, adversários de Palmeiras e Grêmio, respectivamente.

"Eu acho que seria melhor que, um dos dois que irá a final, seja brasileiro", admitiu o chefe de Estado, em conversa bem-humorada com os integrantes de um programa esportivo da "FM La Meca de Malanzán".

Macri brincou e admitiu que o período da definição dos finalistas, até a comemoração do título por um dos arquirrivais seria de insônia para os torcedores de Boca e River, que começarão a disputar as semifinais nesta semana.

"Você sabe o que são três semanas sem dormir? É muito. É uma loucura. Você sabe a pressão que será? Aquele que perder demorará 20 anos para se recuperar. É uma final em que muito estará em jogo", avaliou o presidente argentino.

Na noite desta terça-feira, o River receberá o Grêmio no estádio Monumental de Núñez. Amanhã, será a vez do Boca entrar em campo em seus domínios, para encarar o Palmeiras. Os jogos de volta serão na próxima semana, ambos no Brasil.

Esporte