PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Justiça rejeita recursos e mantém jogadores russos em prisão preventiva

Os jogadores russos Alexander Kokorin (à esquerda) e Pavel Mamayev - REUTERS/Benoit Tessier, Maxim Zmeyev
Os jogadores russos Alexander Kokorin (à esquerda) e Pavel Mamayev Imagem: REUTERS/Benoit Tessier, Maxim Zmeyev

19/10/2018 10h27

Moscou, 19 out (EFE).- A Audiência Municipal de Moscou desprezou nesta sexta-feira (19) os recursos apresentados pelas defesas dos jogadores russos Aleksandr Kokorin e Pavel Mamaev, acusados por vandalismo e agressão, por isso, ambos deverão permanecer em prisão preventiva até a realização do julgamento.

Os jogadores, que já tiveram passagem pela seleção russa, foram detidos em 8 de outubro, sob a acusação de agredirem brutalmente, em dois incidentes separados, dois funcionários do alto escalão do Ministério do Comércio e Indústria da Rússia e um motorista.

As vítimas, até o momento, se negaram a retirar a denúncia e não chegaram a um acordo para estabelecer uma indenização com os advogados do atacante do Zenit São Petersburgo e o meia do Krasnodar.

As defesas dos jogadores, que, se forem declarados culpados podem receber penas de até sete anos de prisão, tinham solicitado que a medida cautelar de prisão preventiva fosse modificada pela de prisão domiciliar ou liberdade, mediante pagamento de fiança.

O advogado de Kokorin, Oleg Popov, declarou que a mãe do jogador, Svetlana Kokorina, está disposta a pagar uma fiança de 10 milhões de rublos (US$ 160 mil).

"Kokorin cometeu o crime por acaso e está disposto a se corrigir. A decisão de prendê-lo é consequência do populismo político. Kokorin foi submetido a uma perseguição na imprensa e os juízes devem estar acima dos estereótipos políticos", disse o advogado em sua alegação.

Também não causou efeito nos magistrados uma carta assinada pelo técnico do Zenit, Sergei Semak, e os integrantes do elenco do clube, em que se condenava a conduta de Kokorin, mas se usava o argumento de que "afastá-lo do esporte traz prejuízo ao futebol russo".

"Estávamos preparados para esta decisão (a rejeição do recurso). Claro que a respeitamos, a aceitamos, mas apelaremos", disse Igor Bushmanov, o advogado de Mamaev.

Bushmanov insistiu que "é preciso preservar o meia do Krasnodar como jogador profissional para o futebol russo" e que "o ocorrido já foi uma lição suficiente" para o jogador.

Os magistrados também rejeitaram o recurso contra a medida de prisão preventiva contra Kirill Kokorin, irmão mais novo do jogador do Zenit, que enfrenta as mesmas acusações.

Esporte