PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Autoridades reduzem capacidade do estádio do Colo-Colo, rival do Palmeiras

Valdivia disputa bola com Fagner durante Colo-Colo x Corinthians na Copa Libertadores - EFE/Elvis González
Valdivia disputa bola com Fagner durante Colo-Colo x Corinthians na Copa Libertadores Imagem: EFE/Elvis González

31/08/2018 16h30

As autoridades chilenas anunciaram nesta sexta-feira a redução da capacidade do estádio do Colo-Colo para a partida de ida das quartas de final da Taça Libertadores, contra o Palmeiras, como punição pelos incidentes do fim de semana passado no clássico diante da Universidad do Chile.

A governadora da região Metropolitana, Karla Rubilar, anunciou que no dia 20 de setembro - dia da partida contra o Palmeiras - e durante os jogos seguintes restringirá o acesso a dois setores específicos do Estádio Monumental onde a barra brava do Colo Colo atirou objetos em direção ao gramado no sábado passado.

A medida afetará o setor "Lautaro", com uma capacidade para 2.000 pessoas, e o "Arica", no qual cabem 3.500 torcedores. Em ambas as zonas a capacidade será reduzida a 2.000 espectadores.

"Decidimos reduzir, e isto não vai voltar à sua capacidade normal enquanto não forem identificadas as pessoas que entram nesses setores. Todo o resto do estádio continua com a capacidade normal. O que aconteceu na partida do Colo-Colo no Monumental é extremamente grave", explicou Rubilar.

A decisão veio em conjunto com "Estádio Seguro", um departamento do Ministério do Interior chileno responsável por supervisionar o cumprimento da lei contra a violência nos estádios. As autoridades informaram também que se proibirá a entrada ao estádio de equipamentos como tambores, bandeiras e cartazes.

Esporte