PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cruzeiro é batido pelo Flamengo no Mineirão, mas avança na Libertadores

29/08/2018 23h38

Belo Horizonte, 29 ago (EFE).- O Cruzeiro foi derrotado nesta quarta-feira pelo Flamengo por 1 a 0, no Mineirão, mas, resistiu às investidas do adversário e se garantiu nas quartas de final da Taça Libertadores, graças a vitória que obteve há três semanas no Maracanã por 2 a 0.

Depois da grande atuação no Rio de Janeiro, a Raposa resistiu até os 24 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Léo Duarte marcou o gol solitário da partida. A equipe carioca precisava balançar a rede mais uma vez, para conseguir levar a decisão da vaga para os pênaltis, o que não aconteceu.

Graças ao placar agregado de 2 a 1 na série eliminatória, o Cruzeiro avançou para enfrentar o vencedor da série entre Boca Juniors, da Argentina, e Libertad, do Paraguai, que será definida amanhã, em Assunção. Em Buenos Aires, os donos da casa levaram a melhor por 2 a 0.

Na próxima etapa, o time celeste tentará ultrapassar a barreira das quartas, onde parou nas duas últimas participações na Libertadores, em 2014, quando foi batido pelo San Lorenzo, e em 2015, quando o algoz foi o River Plate.

O Flamengo, por sua vez, não fica entre os oito melhores da competição desde 2010, quando parou, justamente nas quartas, eliminado pela Universidad do Chile. Depois disso, em 2012, 2014 e 2017, o Rubro-Negro caiu na fase de grupos.

Para a partida desta quarta-feira, as duas equipes apresentavam interrogações até a divulgação das escalações. No Cruzeiro, os argentinos Lucas Romero e Hernán Barcos levaram a melhor sobre Edílson e Raniel, sendo as opções para a lateral-direita e comando de ataque, respectivamente.

No Flamengo, a dúvida era apenas no setor ofensivo, já que o colombiano Fernando Uribe sequer foi relacionado, o que abria espaço para o contestado Henrique Dourado ou do jovem Lincoln. Mauricio Barbieri, no entanto, lançou Vitinho mais centralizado, enquanto Everton Ribeiro e o colombiano Marlos Moreno atuaram pelos lados.

Como era de se esperar, o único duelo entre brasileiros nas oitavas da Libertadores começou em ritmo alto, com muita briga no setor de meio. As jogadas de perigo não aconteciam, no entanto, pelo bom trabalho de ambos os sistemas defensivos. A primeira chegada foi do Rubro-Negro, aos 11, com chute para fora de Moreno.

O Cruzeiro chegou aos 20 e não abriu o placar por centímetros. Após ótima jogada pela direita, que teve tabela de Arrascaeta com Robinho, o uruguaio cruzou na medida e achou Barcos livre na área. O Pirata, no entanto, pecou na finalização e tocou à direita do gol defendido por Diego Alves.

A resposta do Fla veio dois minutos depois, quando Diego recebeu na intermediária e bateu firme, no canto esquerdo de Fábio, que caiu bem e fez ótima defesa, espalmando a bola em direção a linha de fundo. Aos 27, foi a vez de Everton Ribeiro concluir, dessa vez, para fora.

No decorrer da etapa inicial, o ritmo do duelo caiu e as chances de gol foram se tornando mais raras. Apenas aos 40, houve novo lance de perigo, quando Diego levantou bola na área e Lucas Paquetá testou para as redes. O jovem meia, no entanto, foi flagrado em posição de impedimento.

Depois do intervalo, o Flamengo tentou se manter no campo de ataque, em busca de um gol que poderia tirar o Cruzeiro da zona de conforto. Logo aos 4, Réver acionou Moreno em lançamento, o colombiano dominou bem, mas concluiu mal, para fora.

O time mineiro, que buscava controlar a partida, sem se arriscar muito, ficou muito perto de balançar a rede aos 18. Após bola alçada no lado direito da área, Barcos escorou para o centro, onde Thiago Neves apareceu para bater. Diego Alves se esticou todo e fez desfesa espetacular, impedindo o gol.

Na base da bola parada, o Flamengo conseguiu abrir o placar aos 24 do segundo tempo. Diego cobrou escanteio da esquerda, a zaga cruzeirense não conseguiu cortar, Everton Ribeiro escorou para o meio da área, e Léo Duarte tocou para o gol aberto, após saída de Fábio.

A resposta da equipe da casa veio apenas dois minutos depois, quando Lucas Silva recuperou a bola, após vacilo de Lucas Paquetá, arrancou e encheu o pé da entrada da área, parando em defesa segura de Diego Alves, que caiu sem dar rebote.

Aos 36, Arrascaeta fez grande jogada, enfileirando adversários desde a intermediária ofensiva do Cruzeiro, mas, levou os companheiros e torcedores à loucura, ao não tocar a bola e ser interceptado por corte de Léo Duarte.

Mauricio Barbieri lançou o Flamengo com tudo para o ataque, com Lincoln e Geuvânio entrando nos lugares de Cuéllar e Renê, respectivamente. As mexidas, no entanto, não surtiram efeito e o time da Gávea não conseguiu levar perigo. A Raposa se segurou, até que a classificação fosse confirmada com o apito final.



Ficha técnica:.

Cruzeiro: Fábio; Romero (Edílson), Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Rafinha), Thiago Neves e De Arrascaeta; Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes.

Flamengo: Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê (Geuvânio); Cuéllar (Lincoln), Lucas Paquetá e Diego; Everton Ribeiro, Marlos Moreno e Vitinho (Henrique Dourado). Técnico: Mauricio Barbieri.

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Nicolás Tarán e Mauricio Espinosa.

Gol: Léo Duarte (Flamengo).

Cartões amarelos: Thiago Neves, Rafinha e Raniel (Cruzeiro); Renê, Léo Duarte e Rodinei (Flamengo).

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte.

Esporte