PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Santos repudia decisão da Conmebol e promete recorrer "a todas as instâncias"

28/08/2018 14h40

São Paulo, 28 ago (EFE).- O Santos divulgou nota oficial nesta terça-feira repudiando a decisão da Conmebol, de considerar o clube culpado pela escalação irregular do meia uruguaio Carlos Sánchez, no jogo com o Independiente, pela ida das oitavas de final da Copa Libertadores.

"Não bastasse o estranhar da lenta decisão, a punição publicada não tem o menor embasamento legal ou jurídico", aponta a diretoria do Peixe, pela decisão de decretar derrota por 3 a 0 na partida da última terça-feira, que, no campo, terminou empatada em 0 a 0.

"Além do que, pune duplamente o Santos FC, com a perda do jogo e a manutenção da suspensão do jogador Carlos Sánchez", completa o texto.

O comunicado ainda conclui com a afirmação de que os dirigentes recorrerão a todas as instâncias, para reverter a decisão anunciada hoje. O primeiro passo é a Câmara de Apelações da Conmebol, conforme aponta a própria punição divulgada mais cedo.

Nas redes sociais, o Santos publicou mensagens voltadas para os torcedores, como resposta a diversas manifestações sobre a punição, que partiu de denúncia do Independiente, incitando a violência contra os adversários.

"Entendemos e compartilhamos o nojo com bastidores, tribunais e manobras jurídicas. Mas, mais do que tudo, pedimos aos santistas que lotarão hoje o Pacaembu paz e respeito aos adversários", diz postagem no perfil do clube paulista no Twitter.

O clube argentino apontou que Sánchez estava suspenso por cartão vermelho recebido em 2015, quando atuava pelo River Plate, em jogo com o Huracán, pela Copa Sul-Americana.

O uruguaio pegou "gancho" de três jogos, mas, devido anistia realizada pela entidade no ano seguinte, a pena foi reduzida para uma partida. A pena não havia sido cumprida desde então, já que o meia se transferiu para o Puebla e depois para o Monterrey, ambos do México.

Esporte