PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Hamilton vence de ponta a ponta na Hungria; Vettel pula para 2º no fim

29/07/2018 13h18

(Corrige pontuação de Vettel no 3º parágrafo).

Budapeste, 29 jul (EFE).- O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) deu mais um passo rumo ao pentacampeonato mundial de Fórmula 1 neste domingo ao vencer o Grande Prêmio da Hungria de ponta a ponta, enquanto seu principal concorrente na luta pelo título, o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), obteve o segundo lugar na parte final da corrida.

Hamilton não era o favorito à vitória, ao menos pelo que se viu nos treinos livres, em que sua equipe era a terceira força, atrás da própria Ferrari e da Red Bull. Entretanto, o atual campeão obteve a pole position sob chuva no circuito de Hungaroring, fez uma prova segura hoje e subiu ao topo do pódio pela 67ª vez na carreira, a quinta em 2018.

Dessa forma, o britânico vai para as férias de quatro semanas da Fórmula 1 com 213 pontos no Mundial, 24 a mais que Vettel, ainda segundo colocado. A principal categoria do automobilismo retomará as atividades apenas em 24 de agosto para os treinos livres do GP da Bélgica.

Embora lamente o aumento da distância para o líder, o alemão poderia estar em uma situação ainda pior, já que obteve a segunda posição do em Mogyorod, nas cercanias de Budapeste, a apenas cinco voltas do fim, ultrapassando Valtteri Bottas.

O finlandês da Mercedes foi apenas o quinto colocado, já que ainda perdeu posições para o compatriota Kimi Raikkonen (Ferrari), que completou o pódio, em terceiro lugar, e o para o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull), que largou em 12º, caiu para 16º, e fez ótima corrida de recuperação para ser quarto.

A zona de pontuação teve ainda, da sexta à décima colocações, nessa ordem, o francês Pierre Gasly (Toro Rosso), o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas), os espanhóis Fernando Alonso (McLaren) e Carlos Sainz Jr. (Renault) e o também francês Romain Grosjean (Haas).

Em uma pista na qual é difícil encontrar pontos de ultrapassagem, foi fundamental para a Mercedes manter as posições na largada, com Hamilton à frente e Bottas em segundo. O finlandês passou a atuar como "guarda-costas" do líder do campeonato, segurando o ritmo de propósito para que o companheiro de equipe abrisse.

Raikkonen manteve-se em teceiro lugar, mas logo cedeu a posição para Vettel. Logo atrás, Carlos Sainz tentou atacar, mas não cuidou da retaguarda e acabou perdendo a posição para Max Verstappen, que pulou para quinto. Entretanto, a alegria do holandês da Red Bull durou pouco, já que na sexta volta ele abandonou a prova com problemas de potência.

Na briga pela ponta, a Ferrari optou por retardar a troca de pneus de Vettel. O alemão fez seu pit stop apenas 39ª volta, mas não foi suficiente para ganhar a segunda posição de Bottas. Foi necessário então buscar uma ultrapassagem na pista, mas o rendimento do alemão com os ultramacios foi pior que o esperado.

Na parte final da corrida, Hamilton se manteve isolado à frente para vencer de forma tranquila, enquanto seu companheiro de equipe teve de lidar com os ataques de Vettel. Até que 65ª volta, o tetracampeão da escuderia italiana ultrapassou e ainda fechou a porta para Bottas, que também foi passado por Raikkonen.

Com a asa dianteira quebrada, o finlandês da Mercedes perdeu rendimento e ainda perdeu a posição para Ricciardo. O australiano tentou no antepenúltimo giro, foi tocado e saiu da pista, mas voltou e subiu para quarto na volta final, deixando Bottas em quinto.

Esporte