PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Alonso diz que só pensará sobre futuro após pausa da Fórmula 1

26/07/2018 17h16

Budapeste, 26 jul (EFE).- O piloto Fernando Alonso (McLaren) afirmou nesta quinta-feira no circuito de Hungaroring que só pensará sobre seu futuro depois do intervalo da temporada de Fórmula 1, que acontecerá após o Grande Prêmio da Hungria deste fim de semana.

Ao ser perguntado por um repórter da Agência Efe se já sabe o que fará da carreira em 2019, Alonso foi breve na resposta. "Depois da pausa da temporada", limitou-se a dizer.

Foi exatamente neste circuito que o piloto espanhol conquistou sua primeira de 32 vitórias na categoria, há 15 anos, competindo pela Renault.

"Foi um fim de semana fascinante, mas naquela época podíamos abastecer o carro depois do treino classificatório, então não tínhamos 100% de certeza do que aconteceria na corrida. Mas conseguimos abrir uma vantagem e mantemos. Foi um fim de semana muito especial, porque ultrapassamos Michael Schumacher faltando oito voltas. A Renault tinha um ótimo carro, mas meu companheiro de equipe na época (Jarno Trulli) estava brigando com Michael nessa corrida", relembrou.

Alonso não quis comentar sobre o anúncio feito pela McLaren nesta quarta-feira de que o inglês James Key será o novo diretor-técnico da escuderia, mas destacou as qualidades do ainda empregado da Toro Rosso.

"Qualquer pessoa que venha para a McLaren com o conhecimento, a trajetória e a experiência de James será sempre bem-vindo. Veremos se poderá vir o mais rápido possível para fazer mudanças no carro deste ano ou no do ano que vem", opinou.

A McLaren admitiu durante o Grande Prêmio da Inglaterra que o MCL33 tem menos força aerodinâmica do que o carro de 2017, e a equipe tem usado os treinos de sexta-feira para testar partes experimentais e identificar o problema.

"Estamos trabalhando duro nos problemas do carro, que começamos a identificar na terceira ou quarta corrida. Em Barcelona, fizemos algumas mudanças e recuperamos um certo nível, mas em Mônaco voltamos aos problemas originais e à falta de rendimento", avaliou.

Para o bicampeão mundial, as correções que o carro precisa levariam muito tempo para serem implementadas e a melhor saída é já pensar no modelo da próxima temporada.

"Existem algumas correções para este ano, mas vamos dizer que 70% do conhecimento e da compreensão do carro será para o projeto do próximo ano, porque requer tempo, três ou quatro meses de desenvolvimento. É melhor investir para a próxima temporada. Às vezes é bom ir mais fundo nos problemas e no desempenho para entender o carro. Então eu vejo um futuro muito mais claro e brilhante agora", destacou.

Esporte