PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dirigente da Roma admite que Alisson está perto de assinar com o Liverpool

19/07/2018 11h18

Roma, 19 jul (EFE).- Diretor-esportivo da Roma, o espanhol Monchi, confirmou nesta quinta-feira que a negociação para a transferência do goleiro brasileiro Alisson, para o Liverpool, está perto de ser fechada.

O dirigente explicou que a negociação do jogador, destaque do clube na última temporada e titular da seleção do Brasil na Copa do Mundo, está acontecendo de uma forma tranquila, sem pressão.

"É verdade que Alisson está em Liverpool. A negociação está em fase avançada, embora ainda não tenha sido fechada. Se tudo correr normalmente, acho que será concluída em breve", afirmou o espanhol.

O badalado dirigente da Roma ressaltou que, financeiramente, a venda do jogador era interessante também para o clube italiano, pelos valores envolvidos.

"O trabalho de um diretor-esportivo não só é contratar ou planejar, também requer entender o que é melhor para o clube. Não conta só o aspecto esportivo, mas também o econômico. Chegou uma oferta com valores fora do mercado, muito importante", explicou.

Segundo informações divulgadas pela imprensa italiana, o Liverpool estaria disposto a pagar mais de 70 milhões de euros (cerca de R$ 313,5 milhões) para ter o goleiro brasileiro.

Monchi lembrou que, apesar da possível saída de Alisson e da venda do volante belga Radja Nainggolan, a Roma se reforçou com dez jogadores para a próxima temporada, assinando, por exemplo, com o meia argentino Javier Pastore, o zagueiro espanhol Iván Marcano e o meia italiano Bryan Cristante.

O diretor-esportivo agradeceu ao titular da seleção brasileira pelo que ele fez pelo Roma no ano passado e pela postura do jogador na hora de deixar o clube italiano.

"Só posso agradecer ao Alisson, nunca senti a pressão dele para sair. Ele aceitou a oferta do Liverpool, porque gostou da ideia de ir para o clube, mas sua atitude comigo foi impecável", afirmou.

Entre os possíveis substitutos do goleiro brasileiro no clube italiano, o Monchi admitiu que o sueco Robin Olsen, atualmente no Copenghague e titular da Suécia na Copa, é um dos que mais agrada.

"Olsen é uma opção, mas estamos trabalhando com tranquilidade. É melhor que tenhamos boas condições econômicas e não escolhamos sob pressão", concluou o dirigente.

Esporte