PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sánchez diz que Colômbia pode encarar qualquer adversário de igual para igual

30/06/2018 13h09

Kazan (Rússia), 30 jun (EFE).- O volante Carlos Sánchez mostrou confiança neste sábado de que a Colômbia pode vencer a Inglaterra e chegar às quartas de final da Copa do Mundo e afirmou que a seleção de seu país pode enfrentar qualquer equipe de igual para igual.

"A Inglaterra é um país com muita história e tem uma equipe muito estruturada, com jogadores com um grande poderio ofensivo. São muito organizados defensivamente e taticamente, têm uma equipe muito bem trabalhada", disse Sánchez em entrevista coletiva.

"No entanto, a Colômbia tem que tentar continuar crescendo, fazer o que vem fazendo. Mostramos uma maturidade importante: enfrentamos três seleções com uma maneira de jogar diferente, e a Colômbia esteve à altura delas", comentou o volante.

Sánchez ressaltou que futebol atual é muito parecido e que as partidas são vencidas nos detalhes. E disse que não há diferença entre a Colômbia e as principais seleções ainda vivas no Mundial.

"A Colômbia pode jogar de igual para igual com qualquer um, sem nenhum tipo de complexo. Vamos jogar nossas cartas", frisou.

Expulso aos três minutos de jogo na derrota da Colômbia para o Japão por 2 a 1, Sánchez elogiou a personalidade da seleção para vencer os dois jogos seguintes e conseguir a vaga nas oitavas.

"O futebol é imprevisível. É preciso jogar até o último minuto. Começamos muito mal, mas sempre acreditamos e tivemos fé de que podíamos passar de fase. Conseguimos com muita coisa contra nós. A força do grupo conseguiu vencer", ressaltou Sánchez.

O volante também descartou o favoritismo da Inglaterra no jogo.

"É um jogo e as duas seleções têm as mesmas chances de seguir nesta Copa do Mundo. É preciso mostrar o favoritismo dentro de campo. A Colômbia respeita esta seleção, que provou que tem um grande poderio, mas nós também temos nossas 'coisitas'", disse.

Além disso, Sánchez comentou a lesão de James Rodríguez, que pode ficar de fora do duelo decisivo do Colômbia no Mundial.

"James é uma referência, mas também tenho certeza que há outros que podem fazer a diferença. Todos têm nível para jogar e o que entrar trabalhará pela equipe e nos ajudará a conseguir o resultado que nos levará à próxima fase", indicou Sánchez.

Esporte