PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Lloris diz que Messi não pode ser comparado a nenhum outro jogador

29/06/2018 12h56

Kazan (Rússia), 29 jun (EFE).- Capitão da seleção da França, o goleiro Hugo Lloris disse estar confiante com as chances dos 'Bleus' de bater a Argentina e chegar às quartas de final da Copa do Mundo, mas ressaltou que não há nenhum jogador comparável a Lionel Messi.

"É normal que as pessoas falem de Messi. Como também é normal que falem de Cristiano Ronaldo. Os dois estão há muitos anos em alto nível. No entanto, é preciso destacar o coletivo da Argentina, que é de muita qualidade. Inclusive na adversidade eles conseguiram avançar, levaram seu limite ao máximo", disse o arqueiro do Tottenham em entrevista coletiva prévia ao duelo entre as seleções.

"Messi é único. Não pode ser comparado a nenhum jogador. Depois dele há jogadores de qualidade e potencial, como Kylian (Mbappé), que terá espaços e jogará bem", ressaltou o jogador.

Apesar dos elogios ao craque, Lloris ressaltou que a Argentina é mais do que só Messi, lembrando que a 'Albiceleste' chegou à final da última Copa do Mundo, em 2014, disputada no Brasil.

"A Argentina é atual finalista do Mundial e quer chegar longe. Tudo está preparado para que a partida de amanhã seja grande, a França tem que render no nível máximo", avisou Lloris.

O goleiro também enviou uma mensagem de apoio à estrela dos 'Bleus', Antoine Griezmann, afirmando que confia que amanhã o atacante fará sua melhor partida no Mundial.

"É uma partida para ele. É normal que Antoine receba atenção midiática, fez uma grande Eurocopa e agora quer jogar bem no Mundial. Foi pouco a pouco em termos estatísticos, mas trabalhou como ninguém para a equipe. Vamos precisar que ele esteja no seu melhor nível para avançar", afirmou o goleiro.

"Sabemos que temos um grande rival pela frente, que tem um jogador como Messi que pode decidir um jogo sozinho, algo que fez muitas vezes com o Barcelona e com a Argentina", prosseguiu Lloris.

Para o capitão, a receita para a França vencer a Argentina é ter solidez na defesa. "Dissemos antes do torneio que teria que ser assim se quiséssemos fazer uma grande Copa", ressaltou.

"Cumprimos o objetivo de acabar em primeiro do grupo, mas é certo que podíamos ter jogado melhor contra a Dinamarca. Temos ambição e queremos continuar nesse sonho: vamos passo a passo e agora começa um novo torneio", concluiu o goleiro.

Esporte