PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Liverpool abre 5 a 0, mas Roma desconta 2 vezes e mantém sonho de ir à final

24/04/2018 17h52

Liverpool, 24 abr (EFE).- Em uma partida cuja história pode ser dividida em duas tramas diferentes, o Liverpool saiu à frente da Roma em uma das semifinais da Liga dos Campeões nesta terça-feira, ao vencer o jogo de ida por 5 a 2 no estádio Anfield Road, mas ficou com um gosto amargo na boca por ter chegado a abrir 5 a 0 de vantagem.

O time da casa, dono de cinco títulos da competição continental, fez 2 a 0 no primeiro tempo, com dois gols de Salah, que se isolou na vice-liderança da artilharia com dez, a cinco de Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. Na etapa final, os 'Reds' sufocaram e marcaram outras três vezes, uma com Mané e duas com Roberto Firmino.

Quando tudo indicava que a Roma já estava liquidada, a equipe dirigida por Eusebio di Francesco descontou com Dzeko e Nainggolan e se mostrou viva no duelo eliminatório, já que se encontra em situação semelhante à das quartas de final, em que perdeu para o Barcelona por 4 a 1 na Espanha e se classificou com um 3 a 0 no Estádio Olímpico.

Dessa forma, para se classificar para a final após 34 anos, a representante italiana terá de vencer por 3 a 0, 4 a 1 ou uma vantagem superior a três gols na volta, na quarta-feira da semana que vem, em Roma. O pentacampeão poderá perder por dois gols de diferença para ir à decisão após 11 anos.

O Liverpool não pôde contar com o zagueiro Matip, nem com os meias Can e Lallana, que dificilmente voltarão a jogar nesta temporada. Além disso, o meia-atacante Oxlade-Chamberlain se machucou ainda durante o primeiro tempo e teve de dar lugar a Wijnaldum. Por outro lado, o zagueiro Lovren, recuperado de contusão, formou dupla com Van Dijk.

Na Roma, Eusebio di Francesco voltou a apostar no esquema com três zagueiros e escalou o brasileiro Juan Jesus ao lado de Manolas e Fazio. O goleiro Alisson também foi titular, enquanto o lateral-direito Bruno Peres ficou no banco.

As duas equipes se enfrentaram na final da Copa da Europa, precursora da 'Champions', em 1984. Na ocasião, no Estádio Olímpico de Roma, o Liverpool levantou a taça com um triunfo nos pênaltis, após empate em 1 a 1.

A partida no Anfield começou lá e cá, e logo nos primeiros instantes, aos dois minutos, houve uma chance para cada lado. Dzeko fez o pivô e preparou para Strootman, que parou em boa defesa do goleiro Karius. Na resposta dos 'Reds', Salah cortou da direita para o meio e bateu colocado para defesa firme de Alisson.

A Roma conseguia se manter no ataque, mas passava aperto com a velocidade do sistema ofensivo adversário. Aos sete, Oxlade-Chamberlain pegou a sobra no meio e buscou o canto, mas o goleiro pegou mais uma.

Aos 18 minutos, a torcida local levou um susto. Kolarov surpreendeu com um chute de longe da esquerda, Karius foi sem firmeza para a bola e a viu tocar no travessão, mas não entrar.

O momento era favorável aos visitantes, mas aos poucos os donos da casa foram tomando o controle das ações. Aos 28, Firmino deu um lençol no campo de defesa e esticou para Mané, que acelerou a partir da linha divisória e ficou cara a cara com Alisson, mas finalizou por cima. Um minuto depois, Salah mais uma vez levou da direita para a esquerda e obrigou o arqueiro da seleção brasileira a espalmar.

Alisson garantia o 0 a 0 e voltou a aparecer aos 34, em conclusão de Firmino. Entretanto, aos 35, o jogador revelado pelo Internacional não teve o que fazer. A defesa bobeou na saída de jogo, Salah recolheu na esquerda, limpou e chutou na gaveta para fazer 1 a 0.

O segundo poderia ter acontecido logo em seguida, aos 37. O egípcio cobrou escanteio da direita, Lovren subiu livre e acertou um cabeceio firme que carimbou o travessão. Mais tarde, aos 30, Wijnaldum levou pelo meio e arriscou, mas Alisson interveio.

Ainda antes do intervalo, aos 45, o 'Faraó' marcou novamente em um bonito contra-ataque. Salah tabelou com Firmino, ganhou da marcação na velocidade e deu uma cavadinha na saída do goleiro.

A Roma voltou do vestiário com Schick em lugar de Ünder, mas foi o Liverpool que se manteve no comando, inclusive pressionando ainda mais até marcar o terceiro, aos dez minutos. Salah recebeu de Alexander-Arnold em condição duvidosa na ponta direita e cruzou por baixo para Mané balançar a rede.

O quarto aconteceu instantes depois, aos 16, em mais um cruzamento rasteiro por baixo do atacante egípcio. Completamente sem marcação mais uma vez, o camisa 11 passou até o segundo pau para Firmino completar para o gol.

Di Francesco abriu mão do esquema com três zagueiros e sacou Juan Jesus para a entrada de Perotti, mas o prejuízo dos 'Giallorossi' continou aumentando. Aos 23, Milner bateu escanteio, a defesa da Roma apenas olhou e, de cabeça, Firmino deixou mais um.

A partir de então, o ritmo caiu. Jürgen Klopp preservou Salah, substituindo-o por Ings, e os donos da casa passaram a não ser tão sufocantes. Aos 27 minutos, Strootman fez o chuveirinho da esquerda, Schick cabeceou bem e Karius defendeu.

O pentacampeão europeu pagou pela acomodação, e a Roma diminuiu aos 35 com um bonito gol. Nainggolan descolou lindo lançamento de perto do grande círculo, encobriu Lovren e encontrou Dzeko na área. O centroavante matou no peito e fuzilou o goleiro para descontar para 5 a 1.

A equipe visitante acordou na partida e deu um toque de apreensão a toda a euforia dos 'Reds'. Aos 39, Nainggolan encheu o pé no rebote, e o árbitro considerou que Milner cortou com o braço, marcando pênalti. Perotti cobrou com extrema categoria e assinalou o segundo.

Os visitantes ainda tiveram algumas oportunidades para chegar ao terceiro, mas o Liverpool se segurou. Aos 40, Dzeko dominou mais uma e encobriu o alvo. Aos 44, Nainggolan bateu, a bola desviou e saiu em tiro de meta.



Ficha técnica:.

Liverpool: Karius; Alexander-Arnold, Lovren, Van Dijk e Robertson; Henderson, Milner e Oxlade-Chamberlain (Wijnaldum); Mané, Salah (Ings) e Roberto Firmino (Klavan). Técnico: Jürgen Klopp.

Roma: Alisson; Manolas, Fazio e Juan Jesus (Perotti); Florenzi, De Rossi (Gonalons), Nainggolan, Strootman, Kolarov; Ünder (Schick) e Dzeko. Técnico: Eusebio di Francesco.

Árbitro: Felix Brych (Alemanha), auxiliado pelos compatriotas Mark Borsch e Stefan Lupp.

Cartões amarelos: Alexander-Arnold e Henderson (Liverpool); Juan Jesus e Fazio (Roma).

Gols: Salah (2x), Mané e Firmino (2x) (Liverpool); Dzeko e Perotti (Roma).

Estádio: Anfield Road, em Liverpool.

Esporte