PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jarry comemora 1ª semi da carreira, mas diz que poderia ter jogado melhor

24/02/2018 19h53

Rio de Janeiro, 24 fev (EFE).- Derrotado na primeira semifinal da carreira em um torneio da ATP, o tenista chileno Nicolás Jarry comemorou o bom desempenho no Rio Open, mas considerou que poderia ter feito um jogo mais duro contra o argentino Diego Schwartzman, pelo qual foi derrotado neste sábado.

"Vou embora com boas sensações por saber que fiz grandes jogos, venci grandes jogadores. Cheguei à semifinal de um ATP 500, estou feliz por toda a semana, mas triste por essa partida. Aconteceram muitas coisas, não consegui jogar meu melhor, como gostaria, e cometi erros que não vinha cometendo", comentou o 94º colocado do ranking mundial em entrevista do Jockey Club Brasileiro, sede do torneio, na zona sul da capital fluminense.

Após ter se colocado entre os quatro melhores pela primeira vez, o tenista de 22 anos subirá ao menos para 73ª posição da lista da ATP, a melhor de toda a carreira.

"Estou feliz com o meu ranking, vai ser o melhor da minha carreira até agora, mas à medida que vamos evoluímos queremos mais. Venho treinando muito bem, fazendo as coisas direitinho fora da quadra e isso ajuda dentro dela e não perder o foco. Se continuar assim, vou chegar a outras semifinais, a uma final e quem sabe vencer, que é o meu foco. É só continuar jogando agressivo, que é meu estilo, que os resultados virão, declarou.

A primeira parcial foi mais equilibrada, e o chileno teve inclusive a chance de levá-la para o tie-break, já que desperdiçou break points no 12º game. Já a segunda foi tranquila para Schwartzman, que fez 6-2.

"O primeiro set poderia ter caído para qualquer lado e perdi por vários erros meus. Tive muitos break points que não aproveitei. Vencer o primeiro set poderia ter sido chave para o restante do jogo, mas acabei ficando set e quebra abaixo e não consegui mais fazer meu jogo", analisou.

"Minha intensidade caiu um pouquinho no segundo set. Comecei a pensar em muitas coisas, não continuei fazendo meu jogo, que era atacá-lo, passei a pensar demais no que ele estava fazendo. A partir do momento em que fiz isso, esqueci da minha parte, e aí deixei a bola cair mais, não batia mais firme, e isso deu a Diego um segundo a mais para definir", completou.

Esporte