PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Bruno admite que erros de Jamie no saque foram determinantes para eliminação

24/02/2018 00h40

Rio de Janeiro, 23 fev (EFE).- Eliminado pela quinta vez seguida nas semifinais do Rio Open de tênis, a segunda jogando ao lado do britânico Jamie Murray, o brasileiro Bruno Soares reconheceu que os erros de saque do parceiro, que foi quebrado três vezes, foram determinantes para a derrota para os espanhóis Fernando Verdasco e David Marrero nesta sexta-feira.

"Hoje a gente pagou pela baixa porcentagem de primeiro saque, principalmente no serviço do Jamie. Ontem foi um jogo parecido, a gente sentiu bem a bola, ele também não teve uma boa porcentagem de primeiro saque, mas os adversários não conseguiram aproveitar como os de hoje", analisou o mineiro.

Bruno disputou as três primeiras edições do ATP 500 da capital fluminense, de 2014 a 2016, com o austríaco Alexander Peya e as duas mais recentes com Jamie e em todas e elas ficou a um passo da decisão. "Mais uma boa campanha no Rio Open, mais uma semi, mais uma trave, mas, paciência, no ano que vem tem mais", resignou-se.

Devido à chuva, que não vem dando trégua durante toda a semana, a quadra 1 do Jockey Club Brasileiro, sede do torneio, ficou mais lenta e pesada que de costume. Na visão de Bruno, esse fator teve influências positivas e negativas.

"Para mim, a quadra mais lenta não foi tão ruim porque eu conseguir devolver melhor, foi meu melhor dia devolvendo por causa da quadra, acabei encaixando um pouquinho mais. Mas, no outro lado da moeda, em dias de segundo saque você paga mais caro. Hoje o segundo saque não rendeu nada", comentou.

Verdasco teve uma sexta-feira inesquecível. Antes da partida de duplas, ele se classificou para a final de simples batendo o atual campeão, o também austríaco Dominic Thiem, que defendia o título, com direito a um "pneu" na segunda parcial. Bruno considerou que o triunfo anterior encheu o espanhol de confiança.

"O cara quando vem, faz um jogo desses (em simples), chega para o segundo jogo vendo a bola como uma bola de vôlei, já sabendo quais são as condições, fica confiante, feliz, soltinho, encarando tudo como lucro. E o Marrero jogou muito bem também, sacou bem e salvou com a segunda bola. Ele não é um grande devolvedor e hoje se saiu bem também neste aspecto", elogiou.

Esporte