PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jarry comemora 1ª semi de ATP da carreira e revela: "Não esperava conseguir"

23/02/2018 18h48

Rio de Janeiro, 23 fev (EFE).- Classificado para as semifinais de um torneio da ATP depois de ter vencido o uruguaio Pablo Cuevas nesta sexta-feira no Rio Open, o chileno Nicolás Jarry comemorou bastante o resultado obtido no Jockey Club Brasileiro, na zona sul da capital fluminense, e revelou que não esperava ir tão longe.

"Estou muito feliz, é um grande resultado. No começo do ano, não esperava conseguir isso. No Rio, essas condições lentas me facilitam, eu posso soltar melhor os meus golpes. Estou muito bem mentalmente, aproveitando as chances que venho tendo", disse o 94º colocado do ranking mundial em entrevista coletiva.

Jarry admitiu ter dificuldade em ambientes de forte calor e alta umidade, mas ressaltou que ao menos até agora se sentiu bem em quadra no ATP 500 do Rio.

"Estive acomodado na cidade há dois anos, fez muito calor e eu não soube como lidar com isso. Neste ano, som, estou conseguindo lidar muito bem e até agora estou fisicamente ótimo", disse.

O chileno falou também sobre os problemas enfrentados pelos atletas sul-americanos, que, em sua opinião, nem sempre têm o apoio necessário para deslancharem no circuito.

"É muito difícil. Em toda a América do Sul, tivemos muitos grandes jogadores. Aqui no Brasil, houve o Guga; na Argentina, vários; e no Chile também foram muitos. Posso falar melhor do Chile, somos um país pequeno e mesmo assim tivemos grandes jogadores. Não dá para saber bem o motivo, a maioria consegue por méritos próprios", analisou o tenista de 21 anos, que foi finalista de duplas de Roland Garros no juvenil em 2013, mas só agora vem obtendo grandes resultados no profissional.

"A transição de juvenil para profissional é muito difícil, um não tem nada a ver com outro. A imprensa e toda a sociedade creem que é fácil, acham que porque alguém foi líder do ranking juvenil vai ser top 10 no profissional. Mas não tem nada a ver. É como colégio e faculdade, você pode ir bem no colégio e não tão bem na universidade", comparou.

Jarry é neto do ex-tenista Jaime Fillol, que conquistou sete títulos no circuito e figurou no top 15 do ranking mundial na década de 70. Ele reconheceu ter sido influenciado pelo avô na escolha da carreira.

"Meu avô foi um grande jogador e me motivou, no início, a praticar esportes. Meu pai também sempre gostou de esportes, então o esporte sempre esteve em mim. Pratiquei todo tipo de esporte e sabia que ficaria nesta área. O tênis foi o que me agarrou com mais força", afirmou.

Esporte