PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Willian marca, mas Barcelona reage e arranca empate com Chelsea em Londres

20/02/2018 18h37

Redação Central, 20 fev (EFE).- O Chelsea contou nesta terça-feira com grande atuação de Willian, que balançou as redes uma vez, mas não conseguiu ir além de empate com o Barcelona em 1 a 1, no estádio Stamford Bridge, em Londres, pela ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

O meia brasileiro foi o grande protagonista do time da casa, para loucura dos visitantes. No primeiro tempo, foram duas finalizações que explodiram na trave, aos 33 e aos 40 minutos. Na etapa complementar, aos 17, em nova conclusão de média distância, veio o gol que abriu o marcador.

A vantagem no placar foi demolida aos 30, após vacilo da zaga do Chelsea. O atacante argentino Lionel Messi, até então apagado no jogo, diante da forte marcação do adversário, recebeu do meia espanhol Andrés Iniesta e deixou tudo igual. O gol foi o primeiro do camisa 10 mais badalado da atualidade nos 'Blues, em nove partidas.

Com o resultado, o time de Willian terá que vencer na volta ou conseguir igualdade em dois gols ou mais, para conseguir se classificar no tempo normal. O Barça, por sua vez, joga pelo 0 a 0, assim como por um resultado positivo. Caso aconteça um novo 1 a 1, o duelo terá prorrogação.

A partida de volta acontecerá no dia 14 de março, no estádio Camp Nou.

Nas escalações para o jogo desta quarta-feira, o técnico italiano Antonio Conte surpreendeu, abrindo mão de um centroavante no Chelsea, deixando o espanhol Álvaro Morata e o francês Olivier Giroud no banco, para formar trio com Willian, o belga Eden Hazard e o espanhol Pedro.

No Barcelona, o volante brasileiro Paulinho foi alinhado no 11 inicial, com isso, o experiente meia espanhol Andrés Iniesta foi colocado em campo mais avançado, enquanto o jovem francês Ousmane Dembélé ficou no banco. Vale lembrar que o meia brasileiro Philippe Coutinho não pôde atuar, por ter defendido o Liverpool no torneio.

Nos primeiros minutos, o Chelsea conseguiu manter o controle das ações e permanecer mais no campo de ataque. Aos 4 minutos, após receber de Willian, Hazard carregou e, da entrada da área, soltou uma bomba com o pé direito, que passou muito perto do gol defendido por Ter Stegen.

O Barça só conseguiu chegar com perigo aos 16, em boa trama, cheia de troca de passes, em que Messi recebeu na intermediária e cruzou para Paulinho. O jogador da seleção comandadada por Tite cabeceou mal, bem longe da trave direita da meta de Courtois.

No momento do lance do time 'blaugrana', o domínio territorial e da posse de bola já era absoluto. Aos 29, no entanto, Willian escapou pelo lado direito, disparou para a entrada da área e foi derrubado por Rakitic, que recebeu cartão amarelo. Marcos Alonso foi para a cobrança, mas bateu fraco, nas mãos de Ter Stegen.

O camisa 22 dos 'Blues' seguiu levando perigo do Barcelona e, aos 33, após receber na esquerda, girou para cima da marcação e bateu colocado, em bola que explodiu na trave esquerda do time visitante, para desespero da torcida da casa e de Antonio Conte.

A resposta da equipe espanhola só veio aos 38 minutos, quando Rakitic cobrou escanteio, Piqué subiu bem e testou com frieza. A conclusão, no entanto, saiu à esquerda do gol defendido por Courtois.

Não demorou e, aos 40, Willian apareceu mais uma vez para infernizar a vida do Barça. O meia brasileiro recebeu de novo no lado canhoto do campo e encheu o pé, dessa vez acertando a trave esquerda de Ter Stegen, que ficou apenas observando.

No segundo tempo, os visitantes tentaram se atrever mais, depois de não finalizar com perigo durante os 45 minutos iniciais. Com Messi muito marcado, logo aos 3, Iniesta apareceu livre no lado esquerdo e encheu o pé, mas bateu por cima do gol.

Pouco depois, aos 8, em mais uma boa trama ofensiva, Suárez recebeu na esquerda, deu drible desconcertante em Azpilicueta e, frente a frente com o gol, soltou a bomba com a perna canhota, parando em ótima defesa de Courtois.

A insistência de Willian foi premiada aos 17. Após cobrança de escanteio curta de Fàbregas para Hazard, o meia belga cruzou da esquerda para a direita e achou o brasileiro na entrada da área. O camisa 22 cortou para fora e bateu com muito veneno, desviando de uma multidão na área e acertando o canto de Ter Stegen.

Em desvantagem, o Barça se manteve no campo de ataque, até que, aos 30, a zaga do Chelsea saiu muito mal, permitiu que a bola chegasse a Iniesta, que só rolou para Messi, até então apagado, bater com frieza para o fundo das redes e empatar.

Na reta final do duelo, o clima ficou mais tenso, depois que Rüdiger fez falta dura em Sergi Roberto. Houve, inclusive, empurra-empurra entre os jogadores das duas equipes, antes que o defensor alemão recebesse cartão amarelo do árbitro turco Cüneyt Çakir.

Com a igualdade, o Barça usou a posse de bola para neutralizar qualquer ação ofensiva do Chelsea e evitou se expôr, inclusive provocando pouco perigo nos minutos finais, levando assim o empate na bagagem para o retorno à Espanha.



Ficha técnica:.

Chelsea: Courtois; Azpilicueta, Christensen e Rüdiger; Moses, Kanté, Fàbregas (Drinkwater) e Alonso; Willian, Hazard e Pedro (Morata). Técnico: Antonio Conte.

Barcelona: Ter Stegen; Sergi Roberto, Umtiti, Piqué e Alba; Busquets, Paulinho (Vidal) e Rakitic; Messi, Iniesta (André Gomes) e Suárez. Técnico: Ernesto Valverde.

Árbitro: Cüneyt Çakir (Turquia), auxiliado pelos compatriotas Bahattin Duran e Tarik Ongun.

Gols: Willian (Chelsea); e Messi (Barcelona).

Cartões amarelos: Rüdiger e Morata (Chelsea); Rakitic, Suárez e Busquets (Barcelona).

Estádio: Stamford Bridge, em Londres (Inglaterra).

Esporte