PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Robinho é condenado a 9 anos de prisão na Itália; Jogador se defende

23/11/2017 17h11

(Atualiza com mais detalhes do caso).

Roma, 23 nov (EFE).- O atacante Robinho, do Atlético Mineiro, foi condenado nesta quinta-feira pela justiça da Itália a nove anos de prisão, pela participação em um estupro coletivo, cometido contra uma jovem albanesa, de 22 anos, em uma boate de Milão, em 2013, conforme informações publicadas pela imprensa italiana.

De acordo com a sentença, proferida pela juíza Mariolina Panasiti, da nona seção penal do Tribunal de Milão, o jogador foi condenado pelo abuso, cometido em 22 de janeiro de 2013, que teve a participação de outras cinco pessoas.

O Ministério Público italiano pediu, inicialmente, que Robinho fosse condenado em dez anos, mas a magistrada, que julgou o caso em primeira instância, reduziu para nove.

Ainda de acordo com a imprensa italiana, um amigo do atacante da seleção brasileira nas Copas do Mundo de 2006 e 2010, também acabou sentenciado em nove anos. O processo contra outros quatro envolvidos ficou em suspenso, por não terem sido identificados.

Durante o julgamento, a jovem, que deverá ser indenizada em 60 mil euros (R$ 230 mil), afirmou que conhecia o jgoador e alguns amigos dele, e que esteve na noite de 22 de janeiro de 2013 com o grupo e mais duas amigas, no bar Sio Café, em Milão.

Depois que as suas acompanhantes foram para a casa, segundo depoimento da vítima, o brasileiro e os amigos a deram uma bebida que a deixou insconsciente, sem poder oferecer resistência ao ataque sexual.

Na época do crime, Robinho, agora com 33 anos, defendia o Milan. Em outubro de 2014, quando o escândalo veio à tona na Itália, o atacante se defendeu, negando todas as acusações. Por meio de post no Instagram, feito pela assessoria de imprensa, o jogador voltou a fazer as mesmas alegações.

"Esclarecemos que ele já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio. Todas as providências legais já estão sendo tomadas, acerca desta decisão em primeira instância", diz comunicado.

Quando a imprensa italiana publicou que o caso estava sendo investigado, o brasileiro já estava de volta ao Brasil, defendendo o Santos. Depois, passou Guangzhou Evergrande, da China, antes de chegar ao Atlético Mineiro, em fevereiro do ano passado.

Em 2009, quando defendia o Manchester City, Robinho chegou a ser investigado por pela polícia por crime sexual, que teria acontecido em uma boate em Leeds. O jogador chegou a ser detido, mas liberado após pagamento de fiança.

Esporte