Corinthians tem bela atuação de Coronado, bate Racing e avança na Sul-Americana

Promover Igor Coronado ao time titular do Corinthians mostrou-se uma ótima decisão do treinador António Oliveira. O meia deu nova vida ao setor ofensivo alvinegro, apoiado por ótimas atuações de Yuri Alberto e Rodrigo Garro, e ajudou a construir um triunfo por 3 a 0 sobre o Racing, do Uruguai, na Neo Química Arena.

A vitória, válida pela última rodada da primeira fase da Copa Sul-Americana, garantiu a classificação direta do corintianos às oitavas de final e ainda abrilhantou a despedida do volante Paulinho, que, aos 35 anos, encerra sua segunda passagem pelo clube no qual foi campeão da Libertadores e do Mundial, após não renovar contrato.

A equipe paulista termina a fase de grupos do torneio continental na primeira colocação do Grupo F, com 13 pontos contra 11 do Racing, que era o primeiro colocado até então. Na Sul-Americana, é importante ser o líder porque é a única posição que dá vaga direta às oitavas. O vice-líder tem de disputar um playoff contra uma equipe eliminada da Libertadores.

António Oliveira decidiu colocar Igor Coronado para jogar junto com Rodrigo Garro e viu a decisão trazer muita qualidade ao time alvinegro, como mostraram os minutos iniciais da partida. Coronado estava escalado mais aberto pela direita, porém tinha liberdade de movimentação para trocar de posição com o argentino, o que gerou grande variação de jogadas no campo adversário.

Antes de colher mais frutos da boa escolha do treinador, contudo, o Corinthians teve de passar por alguns minutos dramáticos antes de o cronômetro marcar 15 minutos, sofrendo com investidas pelo lado direito de sua defesa. Não fossem três ótimas defesas de Carlos Miguel, o time uruguaio teria inaugurado placar.

Passado o breve sufoco, veio o domínio corintiano, com bastante repertório. Um lançamento em profundidade para Yuri Alberto gerou falta perigosa à direita da grande área, bem perto da linha. Responsável pela batida, Rodrigo Garro colocou no ângulo para marcar um golaço. Poucos minutos depois, sobressaiu-se o talento de Wesley, que limpou a marcação pela esquerda e tocou para Yuri marcar o segundo gol alvinegro, validado após revisão do VAR.

Os donos da casa tiveram chances de ampliar ainda no primeiro tempo, mas não as converteram em gol. Na segunda etapa, o setor ofensivo corintiano continuou funcionando bem. Chamava a atenção o entrosamento de Coronado com Yuri, seu parceiro de muitas jogadas. Wesley, embora menos acionado com a bola no pé, entrava no esquema puxando a marcação para o lado esquerdo e abrindo espaço na zona central.

Quando isso não ocorria, outras formas eram encontradas para abrir espaço, incluindo belas jogadas individuais. Foi o que fez Igor Coroando para marcar o terceiro gol do Corinthians. O meio-campista saiu limpando os defensores pela zona central e deixou um deles no chão, antes de ficar cara a cara com o goleiro e acertar na rede.

A vantagem de três gols deixou armado o cenário perfeito para a despedida de Paulinho, que não renovou com o clube e entrou em campo no lugar do jovem Breno Bidon para ser ovacionado pela fiel. Não teve gol, mas teve muita emoção e um adeus digno a um dos grandes ídolos do clube.

CORINTHIANS X RACING

CORINTHIANS - Carlos Miguel; Fagner (Matheuzinho), Félix Torres, Cacá e Hugo; Breno Bidon (Paulinho), Rodriog Garro e Igor Coronado (Ángel Romero); Yuri Alberto (Pedro Raul) e Wesley (GUstavo Mosquito). Técnico: António Oliveira.

RACING - Ordiozola; Gastón Buenos, Magallanes e Martín Ferreira; Agustín Pereira (Rivero), Lucas Rodríguez (Santiago Mederos); Erik de los Santos e Thiago Espinosa (Alaniz); Verón, Nandín (Gorocito) e Urretaviscaya (Teliz). Técnico: Eduardo Espinel.

GOLS -Rodrigo Garro, aos 21, e Yuri Alberto, aos 24 minutos, do primeiro tempo. Igor Coronado, aos 12 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Roberto Pérez (PER).

CARTÕES AMARELOS - Cacá, Raniele, Magallanes e Martín Ferreira.

RENDA - R$ 2.322.336,00.

PÚBLICO - 40.353 pessoas.

LOCAL - Neo Química Arena, em São Paulo.