Alpinista queniano é encontrado morto a poucos metros do cume do Monte Everest

O alpinista queniano Joshua Cheruiyot Kirui, do Quênia, morreu aos 40 anos durante uma escalada ao Monte Everest, a mais alta montanha do planeta, no Nepal. O corpo do atleta foi encontrado nesta quinta-feira por uma equipe de buscas a poucos metros do cume.

Kirui saiu de um dos acampamentos na base do monte no dia 17 com o objetivo de se tornar o primeiro africano a escalar o Everest sem utilizar oxigênio extra. O alpinista estava acompanhado do guia nepalês Nawang Sherpa, de 44 anos. A dupla foi dada como desaparecida na quarta-feira, e o orientador ainda não foi encontrado.

Dias antes da morte, quando ainda estava no acampamento base, o alpinista detalhou o planejamento em uma postagem no Instagram. "Uma tentativa sem oxigênio requer preparações especiais e traz riscos. Fisicamente, meu corpo está pronto", escreveu. Kirui também pontuou que Sherpa estava com oxigênio suplementar e seria usado caso ele desmaiasse ou tivesse um clima muito desfavorável, por exemplo.

"Depois de um grande investimento físico, mental, temporal e financeiro, agora é o momento da verdade. Como de costume, nos reuniremos novamente aqui em alguns dias para ver como as coisas terão acontecido", escreveu o aventureiro na publicação.

Kirui trabalhava no banco Kenya Commercial Bank (KCB), e a instituição lamentou a morte do alpinista por meio de nota do CEO, Paul Russo. "Nossas orações sinceras e desejo de força e conforto à família, colegas e entes queridos neste período difícil", destacou o comunicado.