À espera de um milagre pelo título, Atlético-MG pode decretar o rebaixamento do Bahia

Com a calculadora na mão na esperança de conquistar o título do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG enfrenta o Bahia nesta quarta-feira, às 21h30, na Arena Fonte Nova, pela última rodada. O time mineiro entra em campo com chances de ser campeão, mas bem remotas, o que faz do duelo uma decisão, já que o clube baiano corre sérios riscos de ser rebaixado à Série B.

O Atlético-MG chega na última rodada como o principal adversário do Palmeiras na briga pelo título. O time mineiro, que vem de uma vitória sobre o São Paulo por 2 a 1, tem 66 pontos, contra 69 do líder. Para ser campeão, além de vencer e torcer para o seu rival perder, precisará tirar uma diferença de oito gols de saldo. Caso tudo dê certo, terminará com a taça.

O técnico Felipão tem um desfalque importante para o duelo com o Bahia. Ele não terá o meia Zaracho, que sofreu uma lesão no posterior na coxa direita no jogo com o São Paulo. O meia ficou fora dos relacionados. Com isso, junta-se aos zagueiros Maurício Lemos e Bruno Fuchs, o lateral Saravia e o volante Battaglia, todos vetados pelo departamento médico.

Por outro lado, o treinador terá o atacante Vargas, que não joga desde agosto. Ele ficará como opção no banco de reservas. Quem também aparece na lista é Réver. O defensor, que se aposentará ao final da temporada, não iria para o jogo por causa do curso do treinador disponibilizado pela CBF. No entanto, as lesões de Maurício Lemos e Bruno Fuchs fizeram com que viajasse para Salvador em sua última viagem como jogador de futebol.

Felipão manteve seu discurso otimista. "Quero me referir à torcida do Galo: que eles ainda acreditem sim. Sou o técnico, mas sou torcedor como eles do 'eu acredito' e não se sabe o que vai acontecer. Até quarta-feira que vem estamos brigando pelo título", disse Felipão.

A luta do Bahia, que vem de derrota por 3 a 2 diante do América-MG, é contra o rebaixamento. O time tricolor tem 41 pontos, contra 42 de Vasco e 43 de Santos. Precisa vencer e torcer para que ao menos um de seus adversários tropece na rodada. Um empate também seria o suficiente, desde que o Vasco, no Rio, saia derrotado no confronto com o Red Bull Bragantino.

O técnico Rogério Ceni terá todos os jogadores à disposição. Qualquer mudança será por opção técnica. A principal dúvida é na lateral-esquerda. Luciano Juba deve iniciar entre os titulares, mas Camilo Cándido corre por fora.

Rogério Ceni falou em tom de receio e insegurança. "Eu me sinto envergonhado pelo meu trabalho, sendo bem sincero. Temos que achar um time que seja compatível para jogar contra o forte time do Atlético-MG e tentar nossa última cartada na Arena Fonte Nova", afirmou o técnico do Bahia.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes