Bruninho se despede do Guarani, que não exerceu direito de compra: 'Foi uma honra'

Em processo de planejamento para a próxima temporada, o Guarani teve mais duas saídas confirmadas: o meia Bruninho e o atacante Felipe Chrysman. Bruninho, de 23 anos, foi peça importante durante 2023, mas o clube paulista não exerceu o direito de compra por conta da cifra, considerada elevada.

"Grato por tudo que vivi nesse clube, foi uma honra", escreveu brevemente Bruninho em suas redes sociais. O jogador, que pertence ao Atlético-MG, ajudou o Guarani em 45 jogos, dez gols e duas assistências. Foram 33 partidas, sete gols e duas assistências na Série B do Campeonato Brasileiro e outros 12 jogos e três gols pelo Paulistão.

O Guarani poderia exercer o direito de compra estipulado em R$ 2,7 milhões, considerado alto para a meta orçamentária do clube, que tentará gastar pouco para formar o elenco para a temporada 2024.

Revelado pelo próprio Atlético-MG, Bruninho teve algumas chances entre os profissionais, principalmente em 2019, mas não se consolidou. Antes do Guarani, foi emprestado para Sport, Confiança-SE, Juventude e CRB. Com contrato até o fim de 2024, deve ser novamente cedido e o Fortaleza já aparece como interessado.

Já o atacante Felipe Chrysman, de 21 anos, se destacou na base do Guarani, mas atuou apenas cinco minutos neste ano e teve curta passagem pelo São Bento, por empréstimo. Sobrevivente do incêndio no CT do Flamengo, em 2019, Felipe Chrysman acertou sua rescisão antecipada para reforçar o Central-PE.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes