Homem agredido por Mike Tyson em avião exige mais de R$ 2 milhões de indenização

Um incidente polêmico da trajetória de Mike Tyson, protagonizado em abril de 2022, voltou ao noticiário nesta semana com uma atualização importante. À época, o ex-campeão mundial de boxe estava em um avião em São Francisco (EUA) e agrediu um dos passageiros após ser importunado. Mais de um ano após o imbróglio (veja abaixo ou clique aqui), o indivíduo que foi alvo de 'Iron' - Melvin Townsend - exige uma indenização de 450 mil dólares (cerca de R$ 2,2 milhões) do lendário pugilista.

A informação da tentativa de acordo e indenização foi dada em primeira mão pelo site 'New York Post'. Jake Jondle, advogado de Melvin, enviou uma carta para a equipe de Mike Tyson alegando que o valor exigido cobriria os cuidados médicos em curso de Townsend, incluindo medicamentos, terapia e outros tratamentos. De acordo com seu representante, o alvo da agressão ainda sofre com dores na cabeça e pescoço oriundas da agressão. Desta forma, caso aceitasse os termos e pagasse a indenização, Melvin não entraria com qualquer processo judicial contra o peso-pesado.

Defesa de Mike Tyson rejeita acordo

A movimentação não foi bem vista pela defesa de Mike Tyson. Através da figura de seu advogado, Alex Spiro, a equipe do pugilista rechaçou um eventual acordo e classificou a tentativa de indenização como ameaça e extorsão.

"Recebi uma carta de denúncia relacionada ao assédio (sofrido) por Mike de algum instigador há um ano e suas consequências. Não haverá pagamento por extorsão", declarou o advogado de 'Iron'.

Agora resta saber se com a tentativa de acordo frustrada, a equipe de Melvin Townsend entrará, de fato, com um processo contra Mike Tyson pela agressão de abril de 2022.

 

 

Uma publicação compartilhada por MMA Melotto (@mmamelotto)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora