PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Homofobia! Narrador do SporTV relata ataque e espancamento de seu irmão

Ag. Fight

Ag. Fight

18/09/2020 19h11

André Azevedo, jornalista do Grupo Globo, denunciou através de suas redes sociais (veja abaixo ou clique aqui) o caso de homofobia sofrido por seu irmão, Guilherme, na última quinta-feira (17), em São Fidélis, no Rio de Janeiro. O ataque de sete indivíduos com paus e pedras teria ocorrido na rua da casa da vítima e a deixado com diversas sequelas.

O irmão do meio do jornalista postou um vídeo em que fez questão de exibir os ferimentos para seus seguidores. Guilherme teve o ombro, o cotovelo e o dedo quebrados, levou seis pontos na cabeça, além de ter sofrido vários cortes e escoriações.

"Eu faço questão de exibir o estado que eu estou nesse momento, com o dedo quebrado, todo machucado e cortado. Homofobia é crime e não vai passar batido", afirmou Guilherme, enquanto mostrava os cortes sofridos em seu corpo.

O narrador contou que seu irmão nunca escondeu sua orientação sexual, e sempre sofreu por isso, desde criança. Na mesma publicação, ele terminou cobrando justiça por Guilherme e por todos os casos de homofobia no Brasil.

"Eu tenho orgulho do meu irmão ser quem ele é e pela coragem que tem. E não vamos parar até que esses vermes sejam punidos. Por todos os Guilhermes que sofrem diariamente no nosso país, não vamos nos calar. Homofobia é crime e os homofóbicos não passarão impunes", declarou André.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Esse é o meu irmão do meio, o Guilherme. E ele foi espancado. As imagens chocam, e estão no perfil dele, @oetdopop O Guilherme é um cara que vive sorrindo e de alto astral. Tá sempre disposto a ajudar quem o cerca. Ele foi espancado ontem por 7 indivíduos. O Guilherme é um artista. Músico desde sempre, canta, toca e compõe como poucos que já vi. Ele foi espancado por 7 criminosos na rua de casa, em São Fidélis. O Guilherme é gay. Sempre foi e nunca escondeu. E sempre sofreu, desde criança. Na escola, no prédio, na rua. E 7 criminosos atentaram contra a vida dele portando paus, pedras e muita violência. Por nada, por nenhum motivo. Somente pelo fato do Guilherme ser quem ele é. Mas o Guilherme é forte. Nunca correu e sempre encarou a vida de frente, como ele encarou esses 7 malditos que o atacaram. Dia 21, segunda-feira, Guilherme fará 32 anos. E ganhou de presente ombro quebrado, cotovelo quebrado, dedo quebrado, várias escoriações, 6 pontos na cabeça e marcas psicológicas que jamais serão esquecidas pelo ataque homofóbico que sofreu desses 7 covardes. Eu tenho orgulho do meu irmão ser quem ele é e pela coragem que tem. E não vamos parar até que esses vermes sejam punidos. Obrigado ao amigo @benhurcorreia pela ajuda. Gratidão eterna, amigo. Fica aqui o abraço e agradecimento de toda família. Por todos os Guilhermes que sofrem diariamente no nosso país, não vamos nos calar. Homofobia é crime e os homofóbicos não passarão impunes. #homofobia #crime #guiaz #justiça

Uma publicação compartilhada por André Azevedo (@andreazevedo39) em 18 de Set, 2020 às 8:02 PDT

Esporte