PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após polêmica, Mario Yamasaki explica 'sumiço' do UFC e projeta retorno 

Ag. Fight

28/01/2019 17h20

Há pouco menos de um ano, no dia 3 de fevereiro de 2018, Mario Yamasaki arbitrava pela última vez um combate no UFC. Na ocasião, Valentina Shevckenko e Priscila 'Pedrita' mediam forças pela categoria dos pesos-moscas (57 kg). O combate foi um verdadeiro atropelo de 'Bullet' em cima da brasileira, mas o duelo só teve fim quando a atual campeã da divisão finalizou a carioca, já no terceiro round.

Após o confronto, Yamasaki, árbitro responsável pela luta, recebeu duras críticas, inclusive de Dana White. O presidente do Ultimate extravasou ao opinar que o juiz brasileiro nunca mais deveria pisar em um octógono novamente. E, desde então, Mario não mediou nenhum combate dentro do UFC.

"Eu acabei me concentrando em outros empregos e não me inscrevi em nenhuma comissão atlética depois dessa luta porque Dana continuaria me impedind. Eu decidi tirar um ano para relaxar e recomeçar. Acho que vou me inscrever em uma comissão atlética novamente este ano e voltar depois de relaxar por um ano", revelou o juiz, em entrevista ao site 'MMA Fighting'.

O árbitro brasileiro já havia sido criticado por Dana em outras oportunidade por suas escolhas polêmicas dentro do octógono. No entanto, a performance no duelo entre Valentina e Pedrita parece ter sido a gota d'água para Mario, que foi criticado até mesmo após o fatídico duelo. Dias após a luta, Yamasaki afirmou que deu a oportunidade da brasileira ser uma guerreira naquela oportunidade - posicionamento que foi alvo de desaprovação por boa parte da imprensa.

"Eu acho que eu realmente poderia ter parado antes. Foi um erro. Eu fui mal interpretado porque, primeiro, eu tinha minha equipe de relações públicas que me pediu para dizer aquilo, mas não é o que eu realmente queria dizer. Eu disse a 'Pedrita' no vestiário que eu não pararia a luta se ela estivesse se defendendo. Ela se movia toda vez que eu dizia que eu ia parar a briga, mas eu realmente deveria ter parado antes, então não teria sido polêmico. Não foi culpa de ninguém além de mim", admitiu Mario.

Embora tenha passado por diversos percalços nos últimos anos de sua carreira, Yamasaki pondera que o saldo até então é positivo. O juiz brasileiro relembrou sua trajetória de mais de duas décadas no esporte e ressaltou que possui uma relação amistosa com o chefão do UFC, apesar dos recentes imbróglios. 

"Eu estava fazendo uma visão geral da minha carreira e não tenho nada além de coisas boas a dizer sobre o UFC e tudo o que aconteceu na minha vida. Nunca imaginamos que o esporte chegaria a esse ponto. Estar no UFC por 20 anos, e também no jiu-jitsu e MMA antes disso. Dana tem sido bom para mim, apesar das controvérsias. São 20 anos ... Eu comecei no UFC antes dele, e sempre nos demos bem", concluiu o principal árbitro brasileiro de MMA em ação atualmente.

Esporte