PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Andrei Arlovski critica atletas que reclamaram da mudança de sede do UFC 232

Diego Ribas, em Inglewood (EUA)

Ag. Fight

29/12/2018 16h54

Andrei Arlovski retorna ao octógono do Ultimate neste sábado (29) em busca de redenção pelos dois últimos reveses sofridos na organização. E ao contrário da maioria dos atletas escalados para atuar no UFC 232, o peso-pesado não enxergou, ao menos em suas palavras, a mudança de última hora de sede do evento como um grande problema. De acordo com o bielorusso, a situação seria pior se o show fosse cancelado.

Durante entrevista com a imprensa, que contou com a participação da equipe da Ag Fight, nessa sexta-feira (28), Arlovski foi sincero ao revelar que o lado financeiro é prioridade na carreira. O bielorrusso inclusive criticou os atletas que reclamaram da mudança do evento, antes agendado para Las Vegas e agora transferido para Inglewood (EUA).

"Estou extremamente feliz. Feliz primeiramente porque o show não foi cancelado. Mesmo sendo transferido para Los Angeles, é tipo, no final das contas, todos lutadores estão lutando para fazer dinheiro, então estou feliz. Obrigado Dana White, obrigado UFC. Teremos um grande evento no sábado", projetou Andrei, antes de alfinetar os demais atletas escalados para o show.

"Entendo que (a mudança de sede) é ruim para os fãs de MMA. Mas eu não entendo porque os lutadores estão reclamando. Tipo, é definitivamente melhor lutar e fazer um dinheiro do que cancelar o show todo, e não saber nem quando você vai lutar em seguida, então estou feliz. Melhor lutar do que não lutar", concluiu o peso-pesado.

O bielorusso fará seu quarto combate na temporada de 2018 contra Walt Harris. A alta assiduidade do veterano durante este ano se explica: contas a pagar. Arlovski lamentou o fato da mudança de sede ter prejudicado alguns fãs de MMA, mas, com sinceridade pouco comum entre lutadores, colocou sua família em primeiro lugar.

"Claro que seria melhor lutar em Vegas, porque muitas pessoas compraram os ingressos para torcer em Vegas, e nem todos podem trocar os ingressos para vir para Los Angeles. Mas como disse, você tem que ser egoísta, e tem que lutar, porque tem que arrecadar dinheiro. Sou responsável, tenho uma família, então tenho que pagar minhas contas", analisou Arlovski.

Aos 39 anos, Andrei se encaminha para a parte final de sua longa carreira no MMA. Durante sua trajetória como profissional até então, o bielorrusso somou 27 vitórias, 17 derrotas, além de um 'no contest' (combate sem resultado).

Esporte