PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-campeão do UFC se compara com Jones e questiona critérios da USADA

Ag. Fight

26/12/2018 12h45

Frank Mir já nem está mais no UFC, mas decidiu relatar uma história que, em sua opinião, coloca luz sobre uma suposta falta de critérios justos para a USADA (agência antidoping americana) punir atletas. De acordo com o ex-campeão peso-pesado, a diferença entre o posicionamento da entidade dois anos atrás, quando o suspendeu, e agora, quando permitiu que Jon Jones continuasse escalado para o UFC 232 - apesar de terem sido encontradas moléculas de turinabol em seu corpo -, ressalta a necessidade de discutir a atuação do órgão.

A Comissão Atlética de Nevada (NSAC) não permitiu que 'Bones' atuasse em Las Vegas, neste sábado (29), ao alegar que não teria tempo suficiente para investigar o resultado dos testes até a data agendada. Assim, o UFC 232 foi transferido para Inglewood, na Califórnia, onde Jones já tinha autorização para lutar, já que havia sido julgado recentemente pela comissão local pelo uso da mesma substância em 2017. A USADA deu anuência à mudança, já que, segundo Jeff Novitzky, a entidade não considerou o flagra fruto de uma nova ingestão de turinabol, e, sim, um resquício do uso de um ano e meio atrás. Mir não considerou a justificativa satisfatória.

"Na primavera de 2016, quando os representantes da USADA sentaram em minha cozinha em Las Vegas e me disseram que o metabólito de Turinabol para o qual eles disseram que testei positivo só poderia ter sido ingerido dentro da janela dos últimos meses, proclamei veementemente minha inocência. Nunca tendo falhado em qualquer teste antidoping ao longo da minha carreira, perguntei se poderíamos voltar mais longe no passado para testar quaisquer suplementos que eu pudesse ter tomado, mas eles alegaram que isso era impossível e desnecessário", falou.

"Eles foram firmes em sua afirmação de que havia apenas um período recente de vários meses que justificaria qualquer consideração. Agora, pouco mais de dois anos depois, Jon Jones testou positivo para o mesmo traço da mesma substância proibida, e a USADA está tomando a posição de que esse mesmo nível baixo não é de fato uma nova ingestão, mas algo que poderia ser o resultado de um efeito 'pulsante' residual que poderia continuar em seu sistema 'para sempre'. Além disso, eles agora alegam que esse fenômeno é algo que eles estão vendo em outros casos também", completou Frank.

Os estudos sobre os efeitos do turinabol apontam, em geral, um tempo de permanência de 40 a 50 dias no corpo do usuário. Deste modo, Mir questionou se houve uma mudança de entendimento da USADA ou apenas uma abordagem diferenciada em relação a 'Bones'.

"Esta última mudança na posição da USADA parece sugerir uma de duas possibilidades. Ou eles estão a) oferecendo tratamento especial para Jon Jones ou b) eles estão supondo e subsequentemente 'revisando' a apresentação de sua própria ciência. Ambos os cenários deixam a mim e a vários outros lutadores cujas carreiras foram igualmente danificadas por testes anteriores, questionando o que isso diz sobre a consistência da USADA e sobre a confiabilidade de seus testes", disse.

Mir vive o ocaso de sua carreira. O lutador estreou no Bellator em abril, perdendo para Fedor Emelianenko, e sofreu outro revés ao ser nocauteado por Javy Ayala, no último dia 15. Com os resultados, Frank emendou quatro derrotas consecutivas.

Esporte