PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cotado para disputa de título com Mousasi, Lyoto minimiza: "Adversário qualquer"

Fábio Oberlaender, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

23/12/2018 07h00

Lyoto Machida conquistou o cinturão da categoria dos meio-pesados (93 kg) do UFC em 2009, mas foi entre os pesos-médios (84 kg) que o brasileiro enfrentou e venceu Gegard Mousasi, em um dos principais resultados de sua carreira. Agora no Bellator, o 'Dragão' pode ter que superar novamente o antigo rival e atual campeão da divisão em busca do seu objetivo, que é chegar ao topo. No entanto, o lutador baiano garante que não está preocupado com o possível oponente, a quem chamou de "um adversário qualquer".

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Lyoto mostrou uma certa indiferença em relação a Mousasi, ainda que o iraniano tenha vencido os últimos oito confrontos que realizou - cinco no UFC e outros três no Bellator. O atual campeão dos médios desta última organização conquistou o cinturão em maio deste ano, após bater o ex-campeão Rafael Carvalho. Coincidentemente, Machida também venceu Carvalho em seu duelo de estreia na companhia, no último sábado (15), no Havaí (EUA), e fechou 2018 com uma boa sequência de triunfos.

"Esse ano eu fiz três lutas, ganhei ritmo... Eu não quero lutar com o Mousasi, quero lutar pelo cinturão. Não tenho nada contra o Mousasi. Se o Mousasi for o campeão até lá, será ele. (...) Para mim, o Mousasi é só mais um lutador que fez parte do meu cartel de vitórias. Não estou preocupado com ele. (...) Trato ele como se fosse um adversário qualquer. O que interessa é o que eu vou fazer, o que eu vou treinar. E eu vou buscar esse cinturão", contou Lyoto.

Antes de conquistar a primeira das três vitórias deste ano - contra Eryk Anders, em fevereiro -, o 'Dragão' passou pela experiência inversa da que vivencia hoje. De 2015 a 2017, o carateca somou três reveses consecutivos - baixo desempenho que ele justifica como "perda de foco". No entanto, agora de volta ao caminho dos triunfos, o ex- campeão do UFC opinou que ainda pode competir em alto nível por até quatro anos.

"Por um tempo, perdi o foco no treinamento, quando estava no UFC. Mas treino com uma galera muito jovem, me sinto muito bem em relação a esses atletas que estão lutando nos grandes eventos, como o UFC e o Bellator, então eu acredito que a arte marcial é um crescimento contínuo, e, no lado competitivo, é lógico que temos que melhorar na parte do condicionamento físico, para acompanhar essa galera que está chegando, mas acredito que posso competir em alto nível e dar o meu melhor por mais dois, três, quatro anos", projetou.

Hoje com 40 anos, Machida conquistou o cinturão do UFC em maio de 2009, após nocautear Rashad Evans no segundo round. Cotado para disputar o título do Bellator quase uma década depois, o carateca deve esperar um pouco mais do que imaginava, já que, nesta semana, foi anunciado que Mousasi se lesionou e foi cortado do duelo que faria em janeiro contra Rafael Lovato Jr. Ao longo da carreira como atleta profissional de MMA, Lyoto somou 25 vitórias e oito derrotas no cartel.

Esporte