PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-UFC, Cody McKenzie acusa inspetor da NSAC de assédio sexual

Cody McKenzie (esquerda) em luta pelo UFC, em 2013 - Divulgação/UFC
Cody McKenzie (esquerda) em luta pelo UFC, em 2013 Imagem: Divulgação/UFC

Ag. Fight

18/11/2018 16h49

Após ser suspenso por quatro anos por entregar uma amostra falsa de urina para um exame antidoping, o ex-lutador do UFC, Cody McKenzie, acusou um dos inspetores da Comissão Atlética de Nevada (NSAC) de assédio sexual. De acordo com o lutador, o representante da companhia "colocou o pênis para fora e sacudiu" em sua direção. O episódio teria acontecido em setembro, no evento 'Tuff-N-Uff', quando o americano enfrentaria J.D. Domengeaux, em Las Vegas (EUA).

Em entrevista ao site MMA Fighting, McKenzie - que teve o duelo cancelado por entregar uma amostra "anormal" - explicou que a comissão lhe pediu que coletasse a urina poucos minutos antes de entrar no cage, sob o risco de ser impedido de lutar. Alegando receio de ser flagrado pelo uso de maconha, Cody fraudou a amostra, o que foi rapidamente percebido pelos membros do órgão fiscalizador. De acordo com ele, esta situação provocou a suposta reação do inspetor da 'NSAC'.

"Eu estava me aquecendo, minha luta estava prestes a acontecer, em cinco minutos, e eles estavam gritando comigo, me dizendo que precisava fazer o teste e eu dizendo que não poderia urinar naquele momento. Estava me aquecendo para a minha luta. Eu nunca urinei na minha vida antes de um combate. Eu luto há 15 anos. Queria que me deixassem em paz. (...) Eles disseram que não iriam deixar eu lutar, a menos que eu urinasse no copo. Então eu fui no banheiro e coloquei algo dentro. Foi engraçado, porque eu disse que não iria deixá-los me verem fazer xixi. (...) E um dos inspetores colocou o pênis para fora da calça e disse: 'Viu, não é tão difícil assim'. E ele colocou o pênis para fora e sacudiu em mim. E eu dizia: "Cara, isso é assédio sexual. Você não pode fazer isso". (...) Eles não demitiram o cara, pelo que eu ouvi dizer. Não ouvi nenhuma repercussão sobre isso. A Comissão Atlética do Estado de Nevada é uma piada", afirmou.

"Isso é uma m****, sabe? Havia cinco ou seis testemunhas ali mesmo. Nada foi divulgado sobre isso. Eu conversei com a comissão sobre isso inúmeras vezes, eles dizem que há uma investigação acontecendo, mas eu não vi nada sobre isso. Eles não falam nada comigo sobre isso. (...) Isso tudo é muito doido. Você não bota o seu pênis para fora e o agita para alguém, especialmente nos dias de hoje. Nos bastidores, provavelmente havia seis pessoas por perto e esse cara mais velho ficou irritado comigo porque eu disse que não iria urinar na frente das pessoas, porque nunca fiz isso antes, e ele ficou todo chateado comigo e sacou o seu pênis e sacudiu para mim. E não foi por um curto período de tempo. Ele estava gritando comigo enquanto estava balançando seu pênis em mim. (...) Eles me prometeram que, se eu mostrasse a urina falsa, eles não contariam à mídia, que seria apenas entre nós. Mentiram para mim lá. Eles me disseram que eu poderia lutar se colaborasse. A comissão está fora de controle", completou.

O diretor executivo da Comissão Atlética de Nevada, Bob Bennet, comentou a situação e disse que, apesar de o caso ainda estar sob investigação, o funcionário foi afastado. "As alegações não são precisas. Estamos analisando o assunto com o devido cuidado. Neste momento, esse inspetor não está mais trabalhando em eventos para nós". Dentro dos cages, Cody venceu apenas duas de suas últimas nove lutas, todas depois de ser demitido do Ultimate, em 2013. Na maior organização de MMA do mundo, ele fez seis combates, triunfou em duas oportunidades e foi derrotado em quatro.

Esporte